Arquivo de novembro, 2013

Para concretizar as aulas de História da Paraíba com as turmas de terceiros anos, da Escola Estadual Professor aul Códula,  fizemos um passeio aqui mesmo, na cidade de Campina Grande, com ênfase no Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande, o qual os alunos puderam ver de perto o acervo do museu que dedica-se ao desenvolvimento histórico, social e cultural de Campina Grande. Possui Fotografias, artigos, mapas, móveis, armas, veículos, jóias, bonecos e ferramentas organizados de forma a contar a história da cidade.

Os alunos fotografaram aquilo que mais chamou sua atenção, onde essas fotos, puderam ser trabalhada em sala de aula e discutidas pelos mesmos. PQAAAKhO-rnlyMLriaLopli-yZpwj4sie6_o4YcL4bxbxaZSFzDIbEj5agriYCP1zKj6mFhrW3IxINlLNAxBlMDrSf0Am1T1UNz-UtaffGhU4kiG91ARS60HcGz- PQAAAKHXoSQBFxaC4WgIpSljEb5NNHC7Mqc8CfK5kCPFWw3WhmC_dlQZx1tIHVUmAyLtAuFVdz6QLNUWGd_HA8zirZwAm1T1UOGVcV6-4uh94n7inmTVggwWKWh8 RAAAAL6N_EG4TSviVRH2jlCw82utCUqNfhEi7mdYEUBkz3xXhTx083KmOoxosqZ4OLnblsGaU5_DlTLi7rs4CQQ7C1JGIEinACBcmqE6f0QvfgvPAJtU9VDrAkCNgkTKlqpkhUC6SBQEtPorOA RAAAAL6N_EG4TSviVRH2jlCw82v9l7iUAPZhUDgWlVXbacft1bWvihSEODU0655IpbcJvCm4xb1QSptCwR6iiTxMgp5rtrFmdlvb5oK27msofK3LAJtU9VBbZFIVhqTnK34f2EeXhm7XRciNOg800px-Museu_geografico_campina_grande  1461276_468451493272308_625865569_n 1471235_468451439938980_1873493590_n PQAAAA7mEuf3lSVcpRAKv8bxK37MbJcouUk8xjOYSBdQemi8agxiKpJ7zOaShtvLl3DfF5ccXAaTTiYeU-G-qoDsgbIAm1T1UBvKa3HPiYVf5_t8T0JR4VfW20ie PQAAAAE9nJwUZNzUU8HXSx4TLNKVLvrEFmT-QuKktUa6hTEp0vC45kqaaVBwwIp4Yri_YR1KGna_cdwXqvmZqBo5Ui8Am1T1UHintfoPxaXarifc-4YyJTVXV169 PQAAAAJp1S_Z90H-0QFnsyp3oOtE2xSiR_63l8uayrlaKTFGgAYRHPps74RA8D79Dgffe59bKvqgFto1CMklSzKupQ8Am1T1ULTcVx7H8gczbxIipS6dy4blxfan PQAAABlatlVc6e58Jf0O3sjp45MnRa1Y9TJk6oGt56szojkyYWVoRg59zfAYfEPWevIFlfSx0OxFYxRBFWHF9LBSwpEAm1T1UBOz_bbrJoe1O3DIF7e9yeD7Saqc PQAAABlIRfBJLEnF-4L8-f_KIznyqKoERj2FukKiDiMUF0ttqe9Us78BtESujzR1Y8R6HU5w_u1hjfc3CiLUhG1ekk4Am1T1UGjX9vuyHjZZ-g-v3qnsjDPId3IK PQAAABOHrIxULCKdOu3wYi-Ro7yjnij84PoMQa7avXjpR7C5gyvApMLpPIcyjBSq3zvZ2cwdirP3iIn9sLueR6bBNecAm1T1UG5VHaF3SrfS6l0IQeuzvtOUcSEO PQAAABZ4nE1Qlytj-hkXbMER1XHDTbwZ1NWAiFZH3TI5Ecsg6guK0mIGmmPJFOvnG5K9MNDIV8FJeDLdnhgQjUBLYT4Am1T1UEhtOWTXcc7XnHov1vmsnQlEMdgb PQAAACG0izyL1ZscByCBxL4WUQ4XCDyCbF0v8DI2aE4U2zlpI0YA_t4EV72P8fwviRFTboizozi3eqAxgDUX7l_vZDIAm1T1UC7Zf-XLli6EX4oMhQYbUMMkNwQY PQAAACgKGHI-oVGzjZMbl7fp6cBYPxEfT4L3gEWQlZI-M2sDYoE0KNX1k5INjja5Nqp_dSJiXO2i5_ThO_qBtYxUyecAm1T1ULor0vcrnTky6Ghj-O--GsrXkVcE PQAAACO-0Mi6hf38dV3FWrzNYycM_Yt3dy36zSQzrZN6D6KavPB0lKTN3LBs_0fVD6-WYcauWghbS8yy6PgirIZ7wboAm1T1UNvBzhK8UJZ5cHUUshupuiIpBWOF PQAAADkRX4k6s1R-xBgIoJtOgYeU8EdiPTrLEPhrgedFpzzQDVTs-4yt2DxKzwM0lf4eleCEpKclFtuQyw8rhterQOgAm1T1UKFMNlZROwEExZ00i6fC-v84x2gq PQAAADn4-Fryh5rLsh-3YnzaBnPjy-Sx6wiMWx5cHc0ktU6FbV74PxxUhIZlGVidc9o96nkXwwA8PEOLCej9tRyb9b4Am1T1UFkYPmE2FIrftFR0ambmzZtadm_J PQAAADo6p3atVFLS9wAiYGdKag28X5LqhhQrRARZjAHHjkivGOiRI8Ue7GyygKfgJPvYN_oqD7XCPsao4Dvo289MNLUAm1T1UG_SlS6ZGEuNwV-bBgf1PVg2sE9Z PQAAADQPzVUmHLgu7jdfyPW-va7agv4RQjJouzLDpI7fChX9Pjz7IvYvEYCM1QCyR43Njk4TtmzdRMgetvznwy5bFA8Am1T1UBYyz08Ehr9OfeHTZOuUDPIOorVi PQAAAE0I9j3NKkzGLLscqj4p6MLcc3vn5vQCEXVSbyA3vbcxoMAQ0rlAbf6r72usTk2Juu2_HFQ72n5T77xrRl2ET7AAm1T1UNefbzEO04FY49aroYmUDPTAddxG PQAAAE9D_Qy_kqDIZ-zJCWoGBzesILmnnLPpJKR9-sR6sC4ucuvZAmuFkubMtnWCYW4OBY0UUstIG0USkFJiAnlrWNUAm1T1UGYkEUwkFAqfzCttgDDOyXhoFXAR PQAAAEiS5zvyEOYmfUGWhmp2a-8jWDpjaxcZHd4FRnmEp-BhEjIFMf7ygzqJotyRvZd9M1j_vBR0t77E-rPGcVcgdIsAm1T1UOqIqcLrrv4kCwu9E9IjrboYW6tK PQAAAEO0LKY0UXRb9ikCBTIfny_kbIIzvBlY0rrkScfx7l6k9ns3p77TzIG4Mju-W2UdoDG19L2wxYIX4O6xYfYwdUMAm1T1UFZLuy8psHK2J5xoM0UqL5BeFIRk PQAAAEOGnlqFB1IfbQmZ53KE0G3PG-euHpe5MjoO-7rqsPiH2c8tDzmPLvO9BSSNRasqd20w_V9u8ltkpZSRffdbbH0Am1T1UPwRRuK2C3gE0YN6L-4c23LKhS6p PQAAAERSQtMFAeZWaQQZctKwosaXKQNoQHRUXk9x8JhmTgpNCcFlkqy_Qee6xhG8t-HudYzW4pDmGl_p_qiqICBpQ-QAm1T1UOjhyX2WcmaYBuggmlSAp9neb933 PQAAAEZiPtBvlWLAoXKCo_4ZAsZumP8KfQ1vzfSRw-X8zzdrj1dzof2EdEP-BOhn49El3Gxp4AIPNN88s4M49fiOGXAAm1T1UN48LMje09j7aRTucvRpWWzSAip9 PQAAAF02bVSUZti92dfxisk5GarN8q5jV0vEHtZLfKsGB4_krqYIS94eOPRqZyaJqbmlJQI8lXSVZZttWMrHkxl5-y0Am1T1UKXvbxFWPZxAiSDZMGxsamFfZdbm PQAAAF23tFIUp8GXU0G0cScaYr0P9RDkuj0sHQrOW4e10_2effQVjlqMK0Ub0FFHy57uVmBpWHicHCI4GWXZDUJY8UAAm1T1UBMmq-iHqtR0-7Y-1Z8OS1Utj9Tu PQAAAFdJNAoCASKrp7PEXY34RgNxZoJ78FInNDuu5WbJwkL76BLiYezDizv-j_HkM-HRR-DpqIojK7pKVXaLGXTUGYsAm1T1UFXb2PGHg9MVZgn2Bo2iNWJvAj8H PQAAAFr0a4KOA4c6L6Y8LDMowTaUVwqPg0T2Jwv5M9sVx0KOgMuKWRGxmCwnKPUHHIxsvMK-OzUnJkPmuqGohJcbukoAm1T1UF8GkrRHPSlRTND0sWxp9XZtaxBF PQAAAGb-rKbABt9Ri7IDlAaKYtmYT76s8-m6yu_VlSJrPLUR839V_7VvvEv1V655oQF11BINtVAsFtuBlO0EIUqUb4kAm1T1ULeHyElL8HmXl0zVnC5co9Lazm7_ PQAAAGXHeeuyrkSObRNjGzsACm5uAQqBts5SeAfJxE6pV_pYk0R_QeecXU4JBXwfPeStMSCPPyTxUYwDotf-n3Ab2H8Am1T1ULvQ-PFawD2TI0nt8sJgHO1d87gY PQAAAHhP_ee2hErvkKBi_oDXcaDo6xA7RIRmMLxGjAhLYKP8ap_RbHE7bj7FEZLT8UEND5OVNFj-Mi7-dSxpVSbyeK0Am1T1UNNUwbrofGXjgjjNa4kRVfICK48C PQAAAHPiqOnjm09j_j-aJ-AEzz7r45qmKgvNuvlNFFhFNFn59tgL66pUZgAJh9oqrsssrnImjlR4L68ibvToVcB8mDMAm1T1UA3y2QK5ohGFwbS2RkcSvq3AjGz9 PQAAAIFyjQSiOyxGyW7P-4k8fmTM5zUJuday3ihsBZhkcdUj8pS0INQ97xQp9qBMmnSg46PlmAEQQVf7MwEMIxhlvvYAm1T1UKVOO7LSkmpi2s8N41H5akhx8NwI PQAAAINHqB9xE1ss5bjz21NGW3LAk_5B9-mKu5NDaSpqlWa2_ArnYb6aGbqCBUd3uIIw_EOHKTmInAOkikjM4tiCjiEAm1T1UCb4psbZ8ODhAkeSoe5KmGa-aOe4 PQAAAIqxf1bw3Mq0CU1mp4pIwWOnXpPt_Q5sELVkcM8gKcWrQnGZ40Lq47TlbX7VBqY0bS0p_vTCUl9jFrFnYtoibIMAm1T1UE05uyvmkqv8dNmXzrHd7RRI8cv0 PQAAAIW4QqPMFghNI1uEGWP-WdusI-J5oAkXtO0dMKFaxkv1etx1e1rKdAMmK8SRUiqOCBksss9iaY0jm-bvMwa8LrUAm1T1UC2bB3W5W559IymSU5SmUFr0lYXn PQAAAJB7HFy5fECXvL7hrq0e61IivICdK52SSIWkgmubI3LlzX8oHoArBUvvyHkKOAfHZ7B58nY8mbEsDG-qklObuOwAm1T1UO2Dh7qcEhe2QnrFNtkWeyW_XSnO PQAAAJh6Icj0u4qVcJdGjbxA4oycSZnMjgY-qtVMG37IBzzMtY-eTvDICEFWVPhaE1z0810ghbvTirwmQft4XV1OXoUAm1T1UBLTcf5d5MJnbooG65oGiXfdN9WV PQAAAJPt0C0YwXpkSFBvPE-DqJz2ba4QK0x-BYYLuGfUga30MOMwZBdXQBupcgrDGmBKRTeTJYj-xOoMDsr0xWKU3oUAm1T1UHnhE7UceJS60qLbj1NfGEpPNTUS PQAAAJw0G2g0nl551XGp_vonBKxDq8OaG0yYnOjDAvLlNyqaO7IHSo5RuKEsc9HlN3KFFedf5e7utOoDv_Fu3e_8u6YAm1T1UKR9WLqhxvbkPKEN8VWPMLGCc7mB PQAAAK2f_ycqqMZjXRBM8V_Sooz1hh1Fq_0bfrrKoM1fBqBE1MfRpunvN1E-1iu5YD3HdDzbv86styUSj2MqZmbDiggAm1T1UEsMMHNGl5RFShBFrzBcBdxxJLXw

polivalente

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

HISTÓRIA-2013

PIBID- PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

ESCOLA: Senador Argemiro de Figueiredo (POLIVALENTE)

PROFESSOR SUPERVISOR: Maria Helena

ALUNO BOLSISTA: Biagio Ítalo Ribeiro Grisi Paiva

TURMA: 2ºs Anos

QUESTÕES SOBRE REVOLUÇÃO FRANCESA E PERÍODO NAPOLEÔNICO.

PUC-PR) Questão 1:

“Que é Terceiro Estado? Tudo. Que tem sido até agora na ordem política? Nada. Que deseja? Vir a ser alguma coisa”. (SIEYÈS, E. J. Qu’est-ce que le Tiers État? In: História Contemporânea através de textos. São Paulo : Contexto, 2001.p.19).

Sobre o contexto histórico da Revolução Francesa:

I)   A sociedade francesa até 1789 estava divididos em três ordens ou estados: o primeiro estado formado pela nobreza; o segundo estado pelo clero e o terceiro estado pela burguesia.

II)  O primeiro e o segundo estado é que tinham os poderes e os privilégios, o terceiro estado é que arcava com todas as despesas da administração francesa pré-revolução.

III) O movimento iluminista ajudou a atacar a ordem social até então vigente na França.

IV)  A primeira fase da Revolução Francesa é chamada de Assembleia Nacional, fase na qual foram abolidos os privilégios do clero e elaborada a primeira Constituição da França.

V)   O governo da Convenção Nacional consolidou a volta da alta burguesia ao poder político francês.

Estão INCORRETAS as alternativas:

A – II e IV.

B – IV e V.

C – III e IV.

D – II e V.

E – I e V.

(UFMS) Questão 2:

A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão terá grande repercussão no mundo inteiro. O documento é uma manifestação contra a sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um manifesto a favor de uma sociedade democrática e igualitária. A propriedade privada era um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável. (HOBSBAWM, Eric J. – A Era das Revoluções. RJ: Paz e Terra, p. 98).

A respeito da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, assinale a alternativa correta:

.A – Foi elaborada na Inglaterra, durante a Revolução Gloriosa.

B – Foi elaborada na Revolução Francesa, na fase da Convenção Nacional.

C – Foi elaborada na Independência dos Estados Unidos.

D – Foi elaborada na Revolução Francesa, na fase da Assembleia Nacional.

E – Foi elaborada na Inglaterra, durante a Revolução Puritana.

(UERJ) Questão 3:

De um modo geral, observa-se como numa sociedade a intervenção dos detentores do poder no controle do tempo é um elemento essencial (…). Depositário dos acontecimentos, lugar das ocasiões místicas, o quadro temporal adquire um interesse particular para quem quer que seja, deus, herói ou chefe, que queira triunfar, reinar, fundar. JACQUES LE GOFF

Adaptado de Memória-História. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 1984. Diversas experiências políticas contemporâneas alteram as representações do tempo histórico, na forma como são mencionadas no texto acima.

Uma ação política que exemplifica essa intervenção no controle do tempo, e que resultou na implantação de um novo calendário, ocorreu da revolução denominada:

A – Cubana

B – Francesa

C – Mexicana

D – Americana

(UFPR) Questão 4:

“Durante a Revolução Francesa, com a qual a burguesia industrial assumiu o poder político, em substituição à aristocracia agrária, surge o termo esquerda, para designar os integrantes da ala mais radical dentro da Assembleia Nacional. Era os jacobinos, também chamados a Montanha, que ocupavam os lugares do lado esquerdo de plenário. A Assembleia editou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, reconhecendo que todos são iguais perante a lei, embora ainda admitisse distinções sociais. A propriedade privada da terra e dos meios de produção continuava sendo considerada um direito natural”.(KONDER, Leandro. A esquerda no Brasil: In: História Viva, Temas Brasileiros. São Paulo, n. 5, 2006, p. 6.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o episódio da Revolução Francesa, considere as afirmativas a seguir:

1) No mosaico político da França revolucionária, os sans-cullotes foram os representantes do meio rural e responsáveis pela manutenção da propriedade da terra como um direito natural.

2) Os principais opositores dos jacobinos na Assembleia Nacional ficaram conhecidos ela denominação de girondinos e defendiam posições moderadas para o desfecho dar evolução.

3) A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão sintetizou o espírito revolucionário estimulado pelo iluminismo e tornou-se um ícone do pensamento progressista mundial.

4) A terminologia “esquerda versus direita” consagrou-se ao longo da História como uma adjetivação para expressar a oposição política presente em vários conflitos sociais.

Assinale a alternativa correta.

A – Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.

B – Somente as afirmativas 2,3 e 4 são verdadeiras.

C – Somente as afirmativas 1,2 e 3 são verdadeiras.

D – Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.

E – Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.

(UNIFOR/CE) Questão 5:

Considere o texto. A Revolução é inovadora, “revolucionária” em relação à ordem anterior que foi derrubada. Mas, no momento mesmo de sua implantação inevitavelmente tende a revelar seu conteúdo conservador. (Rogério Forastieri da Silva. A Revolução Francesa. São Paulo: Núcleo, 1989. p. 94)

No processo da Revolução Francesa, um dos grupos políticos reagiu, em 1792, contra o conservadorismo a que o texto se refere. Esse grupo tornou-se conhecido por:

A – girondinos, que eram porta-vozes dos setores da média e alta burguesia.

B – Jacobinos, que tinham o apoio da pequena burguesia e dos sans-culottes.

C – Montanheses, que eram defensores do retorno do rei ao poder político.

D – Girondinos, que eram representantes dos servos e dos senhores feudais.

E – Jacobinos, que eram apoiados pelos setores do clero e da alta burguesia.

(UFRGS) Questão 6:

Após a Revolução de 1789, a França viveu um período de grande instabilidade, marcado pelo radicalismo e pela constante ameaça externa. Assinale a alternativa correta em relação a esse período.

A – Com a queda da Bastilha, símbolo do autoritarismo real, os deputados da assembleia Constituinte, aproveitando o momento político, proclamaram a República, pondo um termo final ao Antigo Regime.

B – Em meio ao caos provocado pela fuga do Rei e pela derrocada da Monarquia, iniciou-se, em Paris, a criação de uma sociedade baseada nos ideais socialistas, aComuna de Paris.

C – o período conhecido como o Grande Terror foi protagonizado pelo jacobino Robespierre, que posteriormente foi derrubado por Napoleão um general que se destacara por sua trajetória vitoriosa.

D – o golpe do 18 Brumário representou a queda do Diretório, regime que se pretendia representante dos interesses burgueses, mas que era inepto a governar.

E – Durante um curto período de tempo, após a queda da Bastilha, a França vivenciouuma Monarquia Constitucional, mas, na prática, o Rei ainda mantinha a mesmaautoridade de antes.

(UNIRIO/RJ) Questão 7:

“Os soberanos do Antigo Regime venceram Napoleão, em quém eles viam o herdeiro da Revolução e a escolha de Viena para a realização do Congresso, para sede dos representantes de todos os Estados europeus, é simbólica, pois Viena era uma das únicas cidades que não haviam sido sacudidas pela Revolução.”(RÉMOND, René. O Século XIX. SP: Cultrix, 1997, p.17.)

O Congresso de Viena, reunido em 1815, mobilizou os representantes das principais monarquias europeias, tais como Rússia, Prússia, Inglaterra e Áustria, além de representantes de diversas nações da Europa, tendo como objetivo:

A – restaurar o princípio da legitimidade do poder das monarquias em diversos países europeus.

B – implantar o liberalismo econômico em países que mantinham o absolutismo monárquico, tais como Espanha e Portugal.

C – reconhecer as novas fronteiras dos estados europeus decorrentes das guerras napoleônicas.

D – defender as ideias liberais surgidas na Revolução Francesa frente ao conservadorismo do recentemente extinto Império Napoleônico.

E – difundir o nacionalismo e a autodeterminação dos povos europeus como um princípio do “equilíbrio Europeu entre nações”.

(UNIRIO/RJ) Questão 8:

A expressão “Fulano é da esquerda” tão usada nos dias atuais tem uma razão histórica de ser. Em qual fato histórico, a origem dessa expressão melhor explicada?

A – na Revolução Francesa, onde à “esquerda” nas Assembleias sentavam os girondinos defensores da ordem republicana adotada na fase da Convenção.

b- na Guerra das duas Rosas, que identificava aqueles que se colocavam a favor dos York, dinastia que defendia a Monarquia Constitucional

c – na Revolução Americana, na Independência das colônias inglesas na América, onde ao lado esquerdo sentavam aqueles que defendiam a manutenção dos laços coloniais com a Inglaterra.

D – na Revolução Francesa, quando os Jacobinos ocupavam, no salão, o lado esquerdo, o que significava que eram contrários à ordem vigente ou liberal dos girondinos. E – Na chamada Revolução Gloriosa, quando os puritanos eram chamados de “fulanos de esquerda” pela sua posição religiosa diante da monarquia anglicana.

 (UFG/GO) Questão 9:

As mudanças provocadas pela Revolução Francesa (1789-1815),que alteraram a ordem política na configuração do Estado, foram a:

A – convocação dos Estados Gerais e a reivindicação por igualdade jurídica

b – aprovação de uma constituição e a instauração do regime republicano;

C – extinção da cobrança de tributos e de privilégios feudais e a criação da Guarda Nacional;

D – elaboração de leis antigrevista  e a proibição da associação de trabalhadores pelo Estado burguês;

E – consolidação da Convenção Nacional e a promoção de acordos para salvar a vida dorei.

(UFRRJ/RJ) Questão 10:

“Prossigo: mil vozes servem de arauto para a novidade… ‘A Bastilha foi tomada’… Não acreditei e fui ver o cerco de perto… No meio da Grève encontro um corpo sem cabeça estendido no meio do riacho, rodeado por cinco ou seis indiferentes. Faço perguntas… É o governador da Bastilha.”Restil de la Bretonne, As Noites Revolucionárias, São Paulo: Estação Liberdade, 1989,p. 58.

O episódio acima narrado marca o início de um dos momentos políticos mais importantes da história europeia, a Revolução Francesa. A tomada e destruição da fortaleza da Bastilha explicita:

A – o momento de maior radicalidade da Revolução, quando as camadas populares rompem com a liderança burguesa e assumem o poder em Paris;

B – a derrubada de Luís XVI e a proclamação da República francesa baseada na Razão e na Justiça, sob influência do pensamento de Voltaire;

C – a consolidação do poder do grupo jacobino, tendo à frente Robespierre, sustentado ela mobilização radicalizada dos “sans-culottes”;

D – a chegada ao poder político do general Napoleão Bonaparte, que, como primeiro cônsul, será fundamental na consolidação do novo poder;

E – o levante popular sob direção burguesa contra um dos maiores símbolos da opressão política do Absolutismo.

(UNIFOR/CE) Questão 11:

Analise os textos abaixo:

A agitação vista em subúrbios de Paris (…) nos últimos dias se alastrou ontem por outras cidades francesas, na sétima madrugada de descontrole e protestos que envolvem sobre tudo jovens desempregados, muitos descendentes de imigrantes árabes do norte da África. Folha de S.Paulo. 5/11/2005, p. A 23.(…) O jornal espanhol “El País” observa que Paris proclama orgulhosamente um ideal de igualdade, mas coloca seus proscritos em guetos, longe da vista da maioria (…)”Folha de S.Paulo. 7/11/2005, p. A 9.Associam-se ao processo de globalização e às práticas neoliberais que resultam nesses confrontos na sociedade contemporânea:

A – desemprego, políticas públicas voltadas para os jovens e atividades culturais;

B – desemprego estrutural, exclusão social e racismo;

C – xenofobia, desemprego estrutural e atividades culturais voltadas para os jovens;

D – inclusão social, ampliação do mercado de trabalho e democracia racial;

E – exclusão social, respeito às etnias e xenofobia.

(UFC) Questão 12:

Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, uma realização de Napoleão Bonaparte, que representou uma consolidação das ideias da Revolução Francesa:

A – O impedimento do retorno do uso de títulos de nobreza, reivindicado pelos seus generais e pela burguesia francesa que desejava tornar-se a nova elite do país.

B – A criação do Código Civil, inspirado no direito romano e nas leis do período revolucionário, que, na sua essência, vigora até hoje na França.

C – A abolição da escravidão nas colônias francesas, reafirmando o princípio da liberdade presente na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.

D – A realização de uma reforma agrária, prometida, mas não efetivada, pelos jacobinos, o que garantiu a popularidade de Napoleão entre os camponeses.

E – A criação da Constituição Civil do Clero, que proibiu toda forma de culto religioso no território francês.

(UNESP/SP) Questão 13:

… a Revolução de 1789 não fez nada pelo operário: o camponês ganhou a terra, o operário está mais infeliz que outrora e os monarquistas têm razão quando afirmam que as antigas Corporações [de Ofício] protegiam melhor o trabalhador do que o regime atual. Jornal Le Matin, 07 de março de 1885.Com tal declaração, o escritor francês Émile Zola fazia um balanço dos efeitos sociais da Revolução de 1789, referindo-se:

A – aos confiscos dos bens dos nobres franceses emigrados e à política liberal implementada pelo Estado;

B – à baixa participação dos trabalhadores urbanos nas lutas sociais na França do final do século XIX;

C – ao apoio dos operários ao projeto de Restauração do absolutismo francês, como garantia de melhoria social;

D – à liderança política dos camponeses franceses nas revoluções socialistas e comunistas do século XIX;E – à política de bem-estar social instituída pelo Partido Social Democrata francês ao longo do século XIX.

(ULBRA/RS) Questão 14:

A “Declaração de Direitos”, estabelecida em 1689, é mecanismo de um processo de afirmação e participação efetiva da burguesia, produzindo um posicionamento diferenciado de relação com o Estado Absolutista e representando a efetivação de um Estado Liberal, assim como da participação politicada burguesia no Parlamento. Este item pode ser considerado como fundamental para o desenvolvimento da Revolução Industrial. Estas informações são relativas à:

A – Revolução Gloriosa;

B – Independência dos Estados Unidos;

C – Revolução Francesa;

D – Revolução Bolchevique;

E – Constituição do Estado Alemão.

(UFMG) Questão 15:

Antes, Napoleão havia levado o Grande Exército à conquista da Europa. Se nada sobrou do império continental que ele sonhou fundar, todavia ele aniquilou o Antigo Regime, por toda parte onde encontrou tempo para fazê-lo; por isso também, seu reinado prolongou a Revolução, e ele foi o soldado desta, como seus inimigos jamais cessaram de proclamar.(LEFEBVRE, Georges. A Revolução Francesa. São Paulo: IBRASA, 1966. p. 573.)8

Tendo-se em vista a expansão dos ideais revolucionários proporcionadas pelas guerras conduzidas por Bonaparte, é correto afirmar que:

A – os governos sob influência de Napoleão investiram no fortalecimento das corporações de ofício e dos monopólios;

B – as transformações provocadas pelas conquistas napoleônicas implicaram o fortalecimento das formas de trabalho compulsório;

C – Napoleão, em todas as regiões conquistadas, derrubou o sistema monárquico e implantou repúblicas;

D – o domínio napoleônico levou a uma redefinição do mapa europeu, pois fundiu pequenos territórios, antes autônomos, e criou, assim, Estados maiores.

GABARITO: questão 1: E – questão 2: D – questão 3: B – questão 4: B – questão 5:B – questão 6: D – questão 7: A – questão 8: D – questão 9: B – questão 10: E -questão 11: B – questão 12: B – questão 13: A – questão 14: A – questão 15: D -questão 16: C – questão 17: E – questão 18: B – questão 19: C – questão 20: A -questão 21: B – questão 22: E – questão 23: A – questão 24: A – questão 25: C -questão 26: A – questão 27: B – questão 28: E – questão 29: E – questão 30: A -questão 31: D – questão 32: C – questão 33: E – questão 34: C – questão 35: A -questão 36: B – questão 37: A – questão 38: D – questão 39: A – questão 40: A

ANEXO EM WORD:Biagio-BANCO DE QUESTÕES SOBRE REVOLUÇÃO FRANCESA E PERÍODO NAPOLEÔNICO.

polivalente
PEÇA TEATRAL REALIZADA NO DIA 13 DE NOVEMBRO DE 2013 NA ESCOLA E.E.E.F.M. SENADOR ARGEMIRO DE FIGUEIREDO COM A COLABORAÇÃO DOS ALUNOS DO 2º ANO/MANHA E TARDE E O AUXILIO DOS ALUNOS BOLSISTA DO PIBID HISTÓRIA UEPB E A SUPERVISÃO DA PROFESSORA MARIA HELENA.

PEÇA TEATRAL SOBRE A REVOLUÇÃO FRANCESA: 

 

PROTAGONISTAS:

 1º ESTADO:   REI LUÍS XVI,  PESSOAS REPRESENTANDO O CLERO, PESSOAS BEM VESTIDAS PARA REPRESENTAR A NOBREZA REAL.

 2º ESTADO: REPRESENTANDO A NOBREZA DE TOGA.

 3º ESTADO: REPRESENTA OS POBRES, PORÉM DESSAS VINTE PESSOAS, REPRESENTAM A BURGUESIA RURAL ,OS SANS CULOTTES. (VESTIR A CARÁTER) E TEM UM QUE VAI SER ROBESPIERRY.

1º ATO: o narrador fala: “A encenação que vamos representar aqui, se refere à França no final do século XVIII. A Europa vivia um sistema político, monarquia absolutista, onde o Rei Luís XVI era o rei sol, devido ao luxo que ostentava. Tinha como aliado o clero e a nobreza real, onde esse luxo era bancado pelo3 º Estado, pois só ele (  O 3º estado) pagava os impostos para beneficiar as ordens nobres; 1º e 2º estados.

COMEÇA O ATO: o rei fala; Sou o Rei sol, nunca passei por qualquer necessidade, nasci em berço de ouro, sou rico e poderoso, não pago nenhum imposto, tenho tudo o que quero…. o ESTADO SOU EU”!!!! “Sou o cara!!!!      o clero fala: fazemos parte do clero, nossa missão é rezar, luxar e apoiar nosso rei poderoso, ao qual devemos fidelidade.. “Somos da igreja e por isso somos muito importantes para todos, por isso não pagamos nenhum imposto, isso é responsabilidade do 3º estado, que é uma ordem pobre e tem responsabilidade de nos manter ricos”.

Representantes do 2º estado:   fala:  fazemos parte de uma elite que somos amigos, aliados e representante do nosso rei SOL. Somos muito importantes na sociedade somos poderosos, ricos e não temos que pagar nenhum imposto, pois isso fica para os pobres essa responsabilidade.  A classe pobre não pode reclamar nada, pois vive numa sociedade que tem um rei rico, poderoso e simboliza o sol pelo seu luxo. Tinha que agradecer por viver nessa sociedade e ter orgulho de bater no peito e dizer em voz alta; Eu sou francês! Sou comandado por Luís XVI!

3º Estado: ( Robespierre) fala, Nossa ordem é sofrida, nossa representação mais adequada é assim: mostrar um velhinho com dois grandões nas costas. Somos pessoas sofridas, pagamos altos impostos sem termos condições, passamos necessidades e nossas famílias vivem na miséria, tudo o que conseguimos é para sustentar o luxo da elite dos; 1º e 2º estados, esse bando de folgados e preguiçosos! Vivem todos das nossas economias!!!!! Bando de sanguessugas!!!!!

 

Robespierre fala:  Amigos do terceiro estado, seguiremos as ideias de Karl Max, somos maioria vamos nos unir, esperamos o momento para dá o troco, necessitamos acabar com essa exploração, necessitamos tomar o poder desse rei corrupto, fazer a revolução do proletário.. vamos levantar a nossa bandeira usando o LEMA: LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE.

 2ª ato:

A FORMAÇÃO DA ASSEMBLEIA.

 NARRADOR FALA:  “ Após a guerra com a Inglaterra, a França, além de perder o conflito, ficou abalada na economia. O rei Luís XVI resolveu convocar a assembleia, a qual fazia 175 anos que havia sido convocada. Nessa assembleia, aconteceria uma votação simbólica, onde o 3º estado mesmo sendo maioria perdia sempre, pois em todas as decisões, o voto era por representantes dos estados ( 01 pessoa por estado), assim como, era do como era do interesse do 1º e do 2º estado, o 3 º estado perdia sempre, nessa assembleia, seria a votação para aumentar os impostos a serem pagos pelo 3º estado, para melhorar as finanças da nobreza.Vamos a Assembleia!”

2º ATO: LUÍS XVI FALA:Estamos aqui reunidos para resolvermos um problema que nos aflige! Os Estados Nobres não podem ficar a mercê de contar dinheiro, a guerra com os ingleses nos deixou abalados e necessitamos resolver isso rápido. Convido um representante de cada estado para a votação!”.

 ROBESPIERRY FALA: O terceiro Estado protesta o sistema de votação…. aceitamos o voto por cabeça ( por pessoa) se o rei não aceitar assim , não vai ter votação”…

O REI GRITA ENFURECIDO: “O voto vai ser como sempre foi, por representante dos estados e pronto! Vamos logo que eu quero ir para meu palácio!”.

 AÇÕES DO 3º ESTADO:     todos se retiram da assembleia, levantam as palavras do lema da revolução e invadem o salão do jogo da Apela e fazem o juramento:

(TODOS FALAM)Daqui só sairemos com uma Constituição para a França!”.    ( juramento da Apela).

 O REI IRRITADO, DÁ ORDENS: “ SOLDADOS! Invadam o salão, retirem aqueles safados de lá e se não aceitarem sair, mate todos  que se omitirem” ( os soldados invadem e expulsam os revoltosos do salão),

(Todos saem do salão e invadem a Bastilha, entram numa empanada e quando voltarem todos com armas na mão. É hora de Luís XVI ir fugindo, os revoltosos o pegam e o coloca numa prisão e decidem juntos).

Robespierre fala: “O que devemos fazer com esse safado, ia fugindo para não morrer! Todos falam: ‘vamos guilhotinar esse bandido gente”!

Coloca o aluno em cima de “alguma coisa” (mesa!…) e simula retirar sua cabeça fora, e Robespierre dependura ela na mão, cobre a cabeça do defunto e derrama uma tinta vermelha simulando sangue.

 Após o ato, Robespierre sobe em cima do palanque e avisa. “Cumprimos nosso dever como Marx pregava, o 3º estado unido, derrubou um Antigo Regime absolutista, a partir de hoje somos um sistema republicano. Os franceses ficarão sob meu comando, VIVA NOSSA  REPÚBLICA JACOBINA!!!!”

O FIM!

polivalente

PIBID HISTÓRIA UEPB/ VÍDEO AULA TEMA: REVOLUÇÃO FRANCESA E PERÍODO NAPOLEÔNICO.

 

Bastilha

BASTILHA ( Prisão do período da monarquia Francesa, hoje é a atual ‘Place de la Bastille’.)

7747866670_la-place-de-la-bastille-a-paris

Place de la Bastille ( PRAÇA DA BASTILHA).place-de-la-bastille-450107-sw

Rei Luís XVI
Ludvig_XVI_av_Frankrike_porträtterad_av_AF_Callet

polivalente2013..2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

PIBID-HISTÓRIA-2013

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

ESCOLA: Senador Argemiro de Figueiredo (POLIVALENTE)

PROFESSOR SUPERVISOR: Maria Helena

ALUNO BOLSISTA: Biagio Ítalo Ribeiro Grisi Paiva

TURMA: 2ºs Anos

DURAÇÃO: Aulas de 50 minutos.

 

PLANO DE AULA

1. TEMA. Revolução Francesa e período napoleônico.

2. OBJETIVO GERAL

Ensinar aos alunos do 2º ano (ensino médio) os fatos ocorridos durante o período mais conturbado da Revolução Francesa no século XVIII durante o reinado de Luís XVI e o período napoleônico os efeitos econômicos, políticos e sociais.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Analisar os fatores que contribuíram para o estopim da revolução francesa.
  •  Compreender os motivos da insatisfação da população francesa;
  • Proporcionar uma reflexão ao conceito de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, proposto na revolução.
  • Contextualizar a influencia de Napoleão, com sua Ascenção no exército Frances.
  • Identificar as características que marcaram a Revolução Francesa.
  • 4. METODOLOGIA

Abordamos o assunto através de um texto base com a explicação do mesmo pela professora, logo após uma explanação com o auxilio do equipamento do data show para fixar melhor o assunto na temática ‘ A Revolução Francesa e o Período Napoleônico’ desta forma o aluno fixará melhor o conteúdo e compreenderá as transformações desse período da história da França no século XVIII. Depois haverá uma peça teatral e uma avaliação.

5. RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS

  • Livro didático de História;
  • Data show;
  • Quadro, apagador e lápis piloto.
  • Vídeo aula (slide sobre o tema);
  • Pen drive.
  • Câmera digital.

6. AVALIAÇÃO

  • Participação dos alunos em peça teatral sobre o tema;
  • Prova escrita;
  • Participação na discussão em sala de aula da temática abordada.

ANEXO EM WORD:PLANO DE AULA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

polivalente2013..2
PIBID-HISTÓRIA-UEPB-2013
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA
ESCOLA: SENADOR ARGEMIRO DE FIGUEIREDO (POLIVALENTE)
PROFESSOR SUPERVISOR: MARIA HELENA
ALUNO PIBIDIANO: WESLLEY RANGEL
TURMA: 2sº ANOS
DURAÇÃO: AULAS DE 50 MINUTOS

PLANO DE AULA

1. TEMA
A Revolução Francesa e o período Napoleônico.

2. OBJETIVO GERAL
Despertar uma reflexão dos educandos sobre os dois momentos que marcaram o processo de revolução na França e o governo Napoleônico culminando com a busca dos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Analisar o cenário político da França em fins do século XVIII, marcados por intensas agitações sociais de tamanho impacto para a sociedade européia da época.
• Compreender como os privilégios que ostentavam os 1º e 2º Estados estavam atrelados a opressão e aos arrochos fiscais para com o 3º Estado.
• Entender os motivos que levaram os grupos radicais de esquerda a se insurgirem contra o regime monárquico de Luis XVI.
• Contextualizar a influência do pensamento iluminista no processo de revolução.
• Identificar os elementos que conduziram os representantes do terceiro estado, liderados pela burguesia, a prestarem o famoso e conhecido “Juramento do Jogo da Péla”.
• Discutir como o episódio da tomada da Bastilha caracterizou o marco inicial para a revolução popular.
• Incentivar a leitura e a pesquisa sobre o tema discutido em sala de aula.

4. METODOLOGIA
O conteúdo deverá ser abordado, tendo em vista uma apresentação oral direcionada à turma e gravado em arquivo audiovisual situando questões problematizadoras a temática: “A Revolução Francesa e o período Napoleônico”. Os pibidianos bolsistas deverão combinar dia e horário com os alunos selecionados para ensaiar uma peça teatral para representação protagonizada do assunto. Logo em seguida, os alunos se submeterão a responderem um banco de questões propostas para o ENEM.

5. RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS
• Livro didático de História;
• Texto de apoio;
• Notebook;
• Data-show (apresentação de slides “A Revolução Francesa e o período Napoleônico”);
• Câmera digital para filmagens e fotografias.

6. AVALIAÇÃO
• Prova escrita;
• Participação na discussão em sala de aula da temática abordada;
• Participação na peça teatral, desde os ensaios até o dia da apresentação.

ANEXO EM WORD PLANO DE AULA – A REVOLUÇÃO FRANCESA E O PERÍODO NAPOLEÔNICO

polivalente2013..2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
PIBID-HISTÓRIA-2013
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA
ESCOLA: SENADOR ARGEMIRO DE FIGUEIREDO (POLIVALENTE)
PROFESSOR SUPERVISOR: MARIA HELENA
ALUNO BOLSISTA: SABRINA KELE D. LOPES
TURMA: 2ºs ANOS
DURAÇÃO: AULAS DE 50 MINUTOS

PLANO DE AULA

1. TEMA
Revolução Francesa e período napoleônico

2. OBJETIVO GERAL
Apresentar aos alunos do segundo ano do ensino médio, a partir de uma perspectiva dinâmica, interativa e compreensiva os fatores que levaram ao estopim da Revolução Francesa no século XVIII, e entender a importância dessa Revolução para a França, e o mundo, no sentido comercial, social e econômico, a partir de todo seu processo.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Analisar o cenário político, econômico e social da França antes, durante e depois da Revolução Francesa.
• Compreender os aspectos como o movimento deflagrador da Revolução e os elementos que levaram ao colapso da estrutura sociopolítica;
• Entender o papel desempenhado pelo povo durante o processo revolucionário, bem como a importância da burguesia para o mesmo;
• Refletir criticamente sobre as ideias que caracterizaram este processo histórico e a sua repercussão, a qual alcançou o mundo ocidental e inaugurou a contemporaneidade.

• Contextualizar a influência do Iluminismo como a corrente de pensamento que atacou o Antigo Regime.
• Identificar as características que marcaram a Revolução Francesa.
• Proporcionar aos educandos a discussão do conceito de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, proposto no movimento revolucionário na França.
• Incentivar a leitura e a pesquisa sobre o tema discutido em sala de aula.

4. METODOLOGIA
O assunto deverá ser abordado introdutoriamente por um texto base, em uma apresentação oral do educador direcionada à turma, sendo gravado em arquivo audiovisual, e fotográfico que destacará questões problemas acerca da temática: “A Revolução Francesa”. Auxiliaremos a compreensão dos estudantes com aula expositiva, através de slides, onde o aluno compreenderá o processo revolucionário e as transformações econômicas da França do século XVIII. Logo em seguida, a partir da demonstração dos conhecimentos prévios dos estudantes sobre os conteúdos relacionados, os alunos se submeterão a responderem um banco de questões, e também serão avaliados por meio da participação de uma peça teatral que abordará o conteúdo visto nas aulas.

5. RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS
• Livro didático de História;
• Notebook;
• Data-show;
• Vídeo aula (slide sobre o tema);
• Pen drive.
• Câmera digital.
• Quadro, apagador e lápis piloto.
6. AVALIAÇÃO
• Prova escrita;
• Participação na discussão em sala de aula da temática abordada.
• Participação em peça teatral sobre a Revolução Francesa.

ANEXO EM WORD:plano de aula A REVOLUÇÃO FRANCESA E O PERÍODO NAPOLEÔNICO aluna SABRINA