Arquivo de outubro, 2013

polivalente2013..2
Na 2º semana de outubro foi realizado do III EDNID (Encontro de Iniciação à Docência da UEPB) evento que teve sua abertura no teatro municipal Severino Cabral em Campina Grande-Pb no ultimo dia 15, como não poderíamos deixar registrar a participação do PIBID HISTÓRIA UEPB (POLIVALENTE), onde seis alunos da E.E.E.F.M.Senador Argemiro de Figueiredo(POLIVALENTE), com a apresentação de dois trabalhos na modalidade PAINEL, as alunas do polivalente trabalharam a história de alguns monumentos e pontos históricos da cidade ‘RAINHA DA BORBOREMA’ (a Feira Central, a história do algodão, a Igreja matriz da cidade, o teatro, o lendário Cassino Eldorado e o monumento Tropeiros da Borborema), as alunas foram orientas pela professora supervisora MARIA HELENA FARIAS e auxiliados pelos alunos bolsistas do PIBID HISTÓRIA UEPB ALZUMAR COSTA, WESLLEY RANGEL E BIAGIO ÍTALO GRISI.

href=”https://pibidhistoriauepb.files.wordpress.com/2013/10/foto-5enid.jpg”>
href=”https://pibidhistoriauepb.files.wordpress.com/2013/10/3c2aa-foto-enid.jpg”&gt;<a
<a

O III ENID 2013 FOI REALIZADO NO PERÍODO DE 15 A 18 DE OUTUBRO DE 2013 EM CAMPINA GRANDE-Pb.

polivalente2013..2
ALUNO BOLSISTA: ALZUMAR COSTA BARROS
Questões de vestibular sobre a Era Vargas

(UESPI) – Universidade Estadual do Piauí –
Questão 1:

A primeira emissora de rádio do Piauí foi, segundo o historiador Alcides Nascimento, a Rádio Educadora de Parnaíba, inaugurada na década de 1940, cerca de dezoito anos após ter surgido a primeira estação de rádio do Brasil. Como se sabe, o rádio foi fortemente utilizado como instrumento de propaganda política por alguns governos “populistas” no Brasil, entre os quais se destaca o do presidente:
A – Humberto Castelo Branco.
B – Getúlio Vargas.
C – Prudente de Morais.
D – Ernesto Geisel.
E – José Sarney.

(UNAMA/PA) – Universidade da Amazônia –
Questão 2:

“Oh! seu Oscar
Cheguei cansado do trabalho,
Logo a vizinha me falou
Oh! Seu Oscar, ta fazendo meia hora.
Que tua mulher foi-se embora
E um bilhete deixou
O bilhete assim dizia:
Não posso mais
Eu quero é viver na orgia!
Fiz tudo para ver seu bem – estar
Até no cais do porto eu fui parar
Martirizando meu corpo noite e dia
Mas tudo em vão, ela é da orgia.”
O samba da dupla Ataulfo Alves e Wilson Batista, “Oh! Seu Oscar”, foi sucesso no carnaval de 1940 na voz de Ciro Monteiro. Esse samba é uma:
A – afirmação da ideologia trabalhista pregada pelo Estado Novo, que exalta o trabalho e o trabalhador brasileiro.
B – associação do trabalho a sacrifício, cansaço e martírio, se contrapondo à ideologia do trabalhismo presente no Estado Novo.
C – negação à vida boêmia, pois a “mulher de seu Oscar” não aguentou a vida de orgia do marido e o abandonou, o que reforçava a necessidade do trabalho pelo governo Varguista.
D – exaltação à vida de um trabalhador do porto que trabalha muito para dar conforto à mulher e é destacado pelo governo de Vargas como um exemplo a ser seguido pelos demais trabalhadores.

(UFAM) – Universidade Federal do Amazonas –
Questão 3:

“Este é tempo de partido,
tempo de homens partidos.
Em vão percorremos volumes,
viajamos e nos colorimos.
A hora pressentida esmigalha-se em pó na rua.
Os homens pedem carne. Fogo. Sapatos.
As leis não bastam. Os lírios não nascem
da lei. Meu nome é tumulto, e escreve-se
na pedra”.
Em “Nosso tempo”, poema publicado em 1945, Carlos Drummond de Andrade revela o estado de ânimo da parcela mais consciente da sociedade brasileira, recém-saída do regime político, que iniciara em 1937, conhecido sob o nome de Estado Novo e comandado pelo presidente Getúlio Vargas. Sobre o regime estadonovista, é correto afirmar que:
A – Foi um regime de inspiração fascista, que restringiu a liberdade de imprensa e suprimiu a autonomia dos Estados da federação.
B – Foi um regime de inspiração fascista, que desenvolveu o sentimento de exaltação patriótica, cujo estímulo vinha da ideologia liberal.
C – Foi um regime de inspiração fascista, cujo principal órgão administrativo (DASP) controlava não apenas todos os serviços públicos, mas também as centrais sindicais.
D – Foi um regime de inspiração fascista, que proporcionou uma política protecionista e nacionalista, atraindo os investimentos dos grandes proprietários rurais.
E – Foi um regime de inspiração fascista, que recebeu o apoio de grupos civis e militares nacionais e estrangeiros para a manutenção das políticas liberais.

(UNIR/RO) – Fundação Universidade Federal de Rondônia –
Questão 4:

Em 1937, o Governo Vargas implantou o Estado Novo. Sobre esse período, é correto afirmar:
A – Foi um período de intenso combate ao crime organizado, no qual as quadrilhas de tráfico internacional de armas e drogas estiveram desarticuladas.
B – Foi um período de intenso avanço das liberdades democráticas, no qual o Partido Comunista Brasileiro lançou a candidatura de Luis Carlos Prestes a uma vaga na Câmara dos Deputados.
C – Foi marcado por uma ditadura política violenta na qual os direitos e liberdades democráticos foram severamente limitados e os opositores presos, tendo sido alguns deportados.
D – Foi um período marcado por rigorosa política de segurança nas ruas do Rio de Janeiro, protegendo os cidadãos da ação de assaltantes e inibindo a prostituição.
E – Foi um período de grandes avanços na política externa, notadamente pelo estreitamento de relações entre o Brasil e os países do Leste Europeu.

(UNIT/SE) – Universidade Tiradentes –
Questão 5:

Analise o texto.
A Constituição de 1937 estabeleceu que: “O ensino pré-vocacional profissional destinado às
classes
menos favorecidas é em matéria de educação o primeiro dever de Estado. Cumpre-lhe dar execução a esse dever, fundando institutos de ensino profissional e subsidiando os de iniciativa dos Estados, dos Municípios e dos indivíduos ou associações particulares e profissionais”.
(CAMPANHOLE, Adriano & CAMPANHOLE, Hilton Lobo. Constituições do Brasil. São Paulo: Atlas, 1981)
A partir do conhecimento e da análise do texto da Constituição, é possível afirmar que a política educacional do Estado Novo
A – reconhece o direito universal ao acesso à educação e a prática democrática de fornecer a todos os cidadãos uma formação baseada nos princípios da igualdade social.
B – pode ser considerada democrática, uma vez que as decisões relacionadas à educação escolar resultavam da ampla discussão que o governo fazia com educadores.
C – previa a criação de um sistema educacional público, igualitário e permanente para os cidadãos brasileiros independente de sua condição na estrutura social.
D – deu um salto qualitativo ao determinar que o Estado tinha o dever de garantir o direito à educação pública de qualidade a todas as crianças, jovens e adultos do país.
E – institucionalizou uma visão preconceituosa que reforçava as diferenças entre trabalho intelectual e manual, separação que marcou as relações sociais desde a época da escravidão.

(UFPB) – Universidade Federal da Paraíba –
Questão 6:

O governo Vargas tornou-se sinônimo de intervenção estatal. Embora essa política intervencionista tenha adquirido força no Estado Novo, pode ser percebida durante toda a chamada Era Vargas.
Sobre a Era Vargas, é correto afirmar:
A – O Departamento de Imprensa e Propaganda, embora impusesse limitações à imprensa, seguiu a orientação do estado, sem propaganda do governo e sem influência sobre a opinião pública.
B – O governo, na questão agrícola, extinguiu diversos institutos, entre eles o do Açúcar e do Álcool, o do Pinho, o do Mate e o do cacau, e centralizou as ações do Ministério da Agricultura.
C – Os principais opositores do governo foram facilmente cooptados pela política governamental de conciliação e políticos com visões opostas, como Luiz Carlos Prestes e Plínio Salgado, atuaram como ministros de Vargas.
D – O movimento sindical passou a ser tutelado já no início do primeiro governo Vargas, com a Lei de Sindicalização (março de 1931) e, em decorrência, o sindicato tornou-se um colaborador do Estado, com o objetivo de intermediação e atenuação do conflito entre capital e trabalho.
E – O Brasil, com a implantação do Estado Novo, conseguiu a tão sonhada paz social, e o governo Vargas implantou, pela via da conciliação política, um governo de coalizão entre socialistas e integralistas.

(UFAL) – Universidade Federal de Alagoas –
Questão 7:

As rebeliões políticas nem sempre indicam mudanças radicais. No período de 1930 a 1945, politicamente, o Brasil:
A – concretizou as liberdades democráticas, com a derrubada das oligarquias e a renovação do Congresso Nacional.
B – conviveu com práticas autoritárias, sendo a Constituição de 1937, um exemplo da centralização e da falta da democracia.
C – modernizou sua economia, com a implantação de indústrias de base e a defesa da liberdade sindical.
D – consolidou o poder das oligarquias do Sudeste, atendendo aos pedidos proprietários das usinas de açúcar.
E – afirmou um modelo fascista, imitando o governo de Mussolini e incentivando preconceitos raciais.

(IFPE) – Instituto Federal de Pernambuco –
Questão 8:

“O Estado que surge do movimento de 30, tendo à sua frente o homem que iria marcar a política brasileira durante quase um quarto de século – Getúlio Vargas –, tem muitas características novas.” (Vita, Álvaro de. Sociologia da Sociedade Brasileira, p. 186).
Sobre o período Getulista (1930-1945), é correto afirmar:
A – Getúlio Vargas implantou no país um regime fascista, nos moldes do fascismo italiano.
B – Foi criada, no período getulista, a Petrobrás, confirmando seu liberalismo econômico.
C – Foram criadas as primeiras leis trabalhistas, a exemplo do seguro-desemprego e do PIS/PASEP.
D – Foi estabelecido o culto popular do chefe de Estado, Getúlio Vargas, a partir de 1937.
E – O poder político passou a ser monopólio do Congresso Nacional, em comunhão com os interesses continuístas de Vargas.

(UPE) – Universidade de Pernambuco –
Questão 9:

Viver a democracia era o desejo de muitos grupos políticos existentes no Brasil dos anos 1930. No entanto, o governo de Getúlio Vargas seguia outros caminhos, enfrentando as oposições.
Com a Constituição de 1937, Getúlio Vargas
A – centralizou mais ainda o poder político, firmando o autoritarismo.
B – procurou modernizar a sociedade, multiplicando os partidos políticos.
C – refez a legislação sindical, garantindo as reivindicações operárias.
D – fortaleceu normas liberais, sem, contudo, deixar seu poder de centralizador.
E – trouxe ideias sociais mais avançadas, imitando modelos europeus.

(UFRN/RN) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte –
Questão 10:

No dia 10 de fevereiro de 1944, uma crônica publicada no jornal O Diário retratou aspectos do cotidiano da cidade de Natal, nos seguintes termos:
“Meio displicente o cronista entrou no café. […] tipos de uma outra raça, a que a uniformidade das fardas cáquis emprestava um tom militar, enchiam as mesas. […] A algaravia que se falava era estranha. […] Sobre a fala de alguns quepes, o brasão de Suas Majestades Britânicas, ou as iniciais simbólicas da RAF canadense. A maioria, porém, era de gente da América […]. O cronista olhou para os lados, curioso. Brasileiro, ele apenas. Sim, também as pequenas garçonnettes […]. No entanto, paisagem humana se mesclasse de exemplares de terras diferentes…”
Apud PEDREIRA, Flávia de Sá. Chiclete eu misturo com banana: carnaval e cotidiano de guerraem Natal. Natal: EDUFRN, 2005. p. 217.
Considerando-se o fragmento textual acima e as informações históricas sobre o período a que ele se refere, é correto afirmar:
A – Pela proximidade com a África e por ter sediado importantes bases militares dos Estados Unidos, Natal foi alvo de esporádicos ataques das tropas da Alemanha.
B – Os natalenses passaram a rejeitar, paulatinamente, os hábitos dos estrangeiros, como os estilos musicais norte-americanos, o uso de roupas informais e de palavras da língua inglesa.
C – O início da guerra e a ameaça de bombardeios aéreos mudaram o clima de festa em que Natal vivia e acirraram, ainda mais, as rivalidades entre brasileiros e norte-americanos.
D – A presença de um grande contingente de militares de outros países e a circulação de moeda estrangeira agitaram, de forma significativa, a vida da outrora pacata Natal.
(FGV/SP) – Fundação Getúlio Vargas – São Paulo –
Questão 11:
Havia uma certa combinação […] de que, ao Manifesto dos mineiros, se seguiria um manifesto dos baianos, no mesmo sentido. Havia contatos com alguns elementos baianos, professores de direito, antigos deputados estaduais e federais, sobretudo mais moços, como Luís Viana Filho e Aliomar Baleeiro. Mas diante da represália do governo ao Manifesto dos mineiros, os baianos acharam que não valeria a pena sacrifício inútil.
[Depoimento de Dario de Almeida Magalhães in Valentina da Rocha Lima (coordenação), Getúlio – uma história oral]
O Manifesto dos Mineiros
A – circulou clandestinamente a partir de novembro de 1935, em apoio aos militares desencadeadores da chamada Intentona Comunista.
B – foi escrito em 1935 e publicado em 1937, defendia uma presença mais forte do estado na atividade econômica e nos planos estratégicos.
C – foi publicado em 1939, contou com apoio de lideranças sindicais reformistas e defendia a imediata entrada do Brasil na guerra ao lado das forças aliadas.
D – foi elaborado em 1941, por alguns interventores estaduais, como Adhemar de Barros, de São Paulo, e defendia a convocação de uma assembleia constituinte.
E – foi construído e publicado no contexto do envolvimento do Brasil na Segunda Guerra, em 1943, e defendia a redemocratização do Brasil.

(FGV/SP) – Fundação Getúlio Vargas – São Paulo –
Questão 12:

“A revolta paulista, chamada Revolução Constitucionalista, durou três meses e foi a mais importante guerra civil brasileira do século XX(…) Sua causa era praticamente inatacável: a restauração da legalidade, do governo constitucional. Mas seu espírito era conservador: buscava-se parar o carro das reformas e deter o tenentismo, restabelecer o controle federal pelos estados.”
CARVALHO, J.M. de, Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 100.
A respeito da situação política brasileira no início da década de 30, é correto afirmar:
A – A maior parte da oligarquia paulista havia aderido à Revolução dirigida por Getúlio Vargas ansiando por uma modernização no país que envolvesse uma reforma eleitoral, a centralização política federal e o reconhecimento dos direitos trabalhistas.
B – Apesar de derrotada militarmente, a revolta acabou levando à convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte com novas regras eleitorais, como o voto secreto que dificultava a ocorrência de fraudes e o direito de voto para as mulheres.
C – A maior parte da oligarquia paulista acabou por articular-se com Luís Carlos Prestes, ex-dirigente da coluna Prestes-Miguel Costa, que havia aderido ao comunismo e tornara-se a principal liderança política do Partido Comunista.
D – Os paulistas defendiam um amplo programa nacionalista e procuravam garantir o retorno da normalidade democrática quebrada com o movimento revolucionário de 1930, que representava os interesses dos setores oligárquicos dos diversos estados da federação.
E – A revolução Constitucionalista foi inicialmente uma revolta da oligarquia paulista e sofreu, posteriormente, um processo de radicalização política que levaria à intensificação de greves e manifestações populares em todo o país, em prol da democracia.

(PUC-RIO) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro –
Questão 13:

“(…) Preciso de vós, trabalhadores do Brasil, meus amigos, meus companheiros de uma longa jornada (…). Preciso de vossa união; preciso que vos organizeis solidamente em sindicatos, preciso que formeis um bloco forte e coeso ao lado do governo (…). Preciso de vossa união para lutar contra os sabotadores, para que eu não fique prisioneiro dos interesses dos especuladores e dos gananciosos, em prejuízo dos interesses do povo.”
Getúlio Vargas, no Estádio Vasco da Gama, 01/05/1951.
Considere o segundo governo de Getúlio Vargas (1951-1954), o trecho acima e EXAMINE as afirmativas:
I – Vargas se dirige aos “trabalhadores do Brasil”, urbanos e rurais, beneficiários da legislação trabalhista implantada durante o seu primeiro governo.
II – O tom de apelo para que os trabalhadores se unissem “ao lado do governo” evidencia a busca pelo apoio popular frente à oposição de setores militares e do empresariado brasileiro ligado ao capital internacional.
III – Sobre a união dos trabalhadores para “lutar contra os sabotadores”, Vargas está fazendo alusão aos comunistas, que pretendiam assumir o poder no Brasil naquela época.
IV – Ainda que se apresente como garantidor dos “interesses do povo”, defendendo a ampliação da legislação trabalhista, Vargas enfrenta reivindicações dos trabalhadores, então atingidos pela alta do custo de vida.
Assinale a alternativa correta:
A – Somente as afirmativas I e III estão corretas.
B – Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.
C – Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
D – Somente as afirmativas I, III e IV estão corretas.
E – Todas as afirmativas estão corretas.

(IBMEC) – Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais –
Questão 14:

–“Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.”
Este fragmento da carta-testamento de Getúlio Vargas marca o encerramento de uma carreira política extremamente rica, cujo doloroso ápice foi seu suicídio, em 24 de agosto de 1954.
Assinale o fator determinante para tão radical decisão do presidente:
A – as pressões dos grupos internacionais inconformados com a criação da Petrobras;
B – o possível envolvimento de Getúlio no atentado contra a vida do jornalista Carlos Lacerda;
C – os inúmeros processos abertos contra o presidente, permanentemente acusado de práticas corruptas em sua administração;
D – as repercussões de sua iniciativa de atrelar politicamente o Brasil à União Soviética, em plena Guerra Fria;
E – a comprovação de inúmeros casos de envolvimento do presidente com vedetes, cantoras e artistas de cinema, manchando sua reputação.

(UNIMONTES/MG) – Universidade Estadual de Montes Claros –
Questão 15:

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma agressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio. […] Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não será mais escravo de ninguém. […] Lutei contra a espoliação do povo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte.
(Carta Testamento de Getúlio Vargas – 1954)
Acerca do contexto e personagem identificados no documento citado, é INCORRETO afirmar que
A – a referência à escravidão feita pelo ex-presidente é um recurso de retórica para afirmar sua identificação com os trabalhadores.
B – os mais poderosos adversários de Vargas nessa conjuntura, os quais ele alega agredi-lo constantemente, são os comunistas liderados por Luiz Carlos Prestes.
C – a UDN, oposição ao varguismo, pagou um alto preço político por isso, como evidenciou a eleição de JK.
D – o mais duradouro legado varguista, a legislação trabalhista, permaneceu sem sofrer grandes alterações por praticamente todas as décadas subsequentes a sua morte.

(CEFET/MG) – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais –
Questão 18:

Analise a tabela abaixo, que traz informações sobre o período da Era Vargas:
IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS POR PAÍS EXPORTADOR, EM PERCENTUAIS.
1934 1938
Estados Unidos 24 24
Inglaterra 17 10
Alemanha 14 25
Outros 45 41
Total 100 100
FONTE: CAMPOS, André Luiz Vieira. Políticas internacionais de Saúde na Era Vargas: o Serviço Especial de Saúde Pública, 1942-1960. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006. p. 38.

Considerando-se a política de comércio exterior nesse período e as informações obtidas na tabela, é correto afirmar que o
A – comércio exterior do Brasil estava imune aos conflitos políticos internacionais que caracterizavam o período.
B – projeto de construção do Estado pautou-se pelo incremento do mercado interno em detrimento das importações.
C – início da ditadura varguista demonstra que as aproximações do governo com o regime nazista eram ideológicas e comerciais.
D – período de prosperidade europeia da belle époque provocou o alto índice de comercialização com o mercado brasileiro.
E – incentivo na criação das Companhias Vale do Rio Doce e Siderúrgica Nacional foi decisivo para a boa relação comercial com os EUA.

(UFAM) – Universidade Federal do Amazonas –
Questão 16:

No início dos anos 30, o quadro mundial assinalaria o fim do liberalismo, com a crescente intervenção do Estado na economia. Nos Estados Unidos, a crise de 1929, que abalara profundamente a confiança depositada nas “leis de mercado”, cedeu lugar, em 1932, ao New Deal de Franklin Delano Roosevelt, base para a construção de um Estado de bem-estar social.
Qual a conjuntura política brasileira na década de 30?
A – Ao tentar superar as pressões regionais, a máquina governamental nomeou interventores para os estados e propôs uma nova constituição que restringiu os poderes dos governadores.
B – A chamada “república paulista”, elite política que se inspirava no positivismo de Augusto Comte, foi responsável pela grande reforma implementada no Estado brasileiro.
C – Liderada por Getúlio Vargas, essa elite construiu um aparelho de Estado politicamente centralizado em oposição à autonomia regional estimulada pelo sistema político da República Velha.
D – Com o esgotamento da República Velha, a nova década exigia um novo sistema político capaz de dar continuidade ao processo de industrialização em escala nacional e redefinir as relações entre Estado e sociedade.
E – Com uma plataforma política incluindo reformas significativas, como o voto secreto e a criação de leis trabalhistas, Vargas chegou ao poder por meio da aliança entre Minas e São Paulo denominada de “café com leite”.

(UFAC) – Universidade Federal do Acre –
Questão 17:

Partido Político rival dos getulistas, adepto do liberalismo. Era contrário ao trabalhismo porque não aceitava o nacionalismo e nem intervenção do Estado na economia. Também conhecido como o partido dos Bacharéis. O empresário e jornalista Carlos Lacerda era a figura mais destacada desse Partido. Marque a alternativa correta indicando o nome desse partido:
A – UDN (União Democrática Nacional);
B – PTB (Partido Trabalhista Brasileiro);
C – PSD (Partido Social Democrático);
D – PC do B (Partido Comunista do Brasil);
E – ARENA (Aliança Renovadora Nacional);

Copyright © 1999 – 2012. Portal Educacional . Todos os direitos reservados.
Questões de Vestibular: História – Brasil – Era Vargas

(UNAMA/PA) – Universidade da Amazônia –
Questão 18:
“Em toda a Europa, surgiram regimes de direita nacionalistas e autoritários, que reagiram tanto ao Estado liberal em crise quanto ao comunismo emergente.”
(Isto É, 21/11/2007, p.41)
O Brasil, da década de 1930, seguindo a tendência acima:
A – implanta o Estado Novo em 10 de novembro de 1937, inspirado nos regimes fortes da direita como o fascismo, o nazismo e o corporativismo.
B – desencadeia a Revolução de 1930, que derruba o estado democrático implantado na primeira república.
C – inicia uma série de levantes liderados pelo tenentes, que tinham como base o discurso positivista.
D – realiza um plebiscito nacional, cujo objetivo era consolidar a permanência de Getúlio Vargas no poder por um período de mais 7 anos.

(UFPA) – Universidade Federal do Pará –
Questão 19:

A paráfrase do Credo católico, abaixo transcrita, expressa a visão dos poetas cordelistas em relação a Getúlio Vargas.
“Creio em Getúlio Vargas, todo poderoso, criador das leis trabalhistas.
Creio no Rio Grande do Sul e no seu filho, nosso patrono o qual foi concebido pela Revolução de 30 […]”.
(CURRAN, Mark. História do Brasil em Cordel. São Paulo: Edusp, 2001. p. 128.)
Sobre a relação entre o poder e prestígio de Vargas e sua associação com a criação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), referida no texto acima, é correto afirmar:
A – A CLT tornou-se um marco ao estabelecer o salário-mínimo, férias, pensões, horas de trabalho, entre outras medidas, que implantaram um programa de reforma social direcionado aos trabalhadores urbanos.
B – O conteúdo das leis trabalhistas de inspiração fascista foi importante, pois estabeleceu direitos e garantias aos trabalhadores urbanos, inclusive permitiu que cada categoria negociasse em separado com os patrões, sem intermediação do Estado.
C – O mundo do trabalho no Brasil, na década de 1930, foi beneficiado com a organização de leis que colocavam o capitalismo industrial subordinado aos interesses dos trabalhadores urbanos e rurais que usufruíam férias, pensões e outros benefícios sociais.
D – A partir da Consolidação das Leis do Trabalho, os operários brasileiros, além de garantirem bons salários, conseguiram que o governo getulista concedesse ampla liberdade ao exercício da militância e da organização da classe trabalhadora.
E – O Estado varguista, ao criar uma legislação trabalhista, não interferiu legalmente nas relações de trabalho cotidianas, mesmo que tenha definido a remuneração mínima e os procedimentos para a solução de disputas individuais e coletivas.

(UFGD/MS) Universidade Federal da Grande Dourados –
Questão 20:

A crise financeira que assolou o Planeta em 2008 foi muito noticiada pela imprensa brasileira. Muitos analistas econômicos acabaram por compará-la ao processo que levou à quebra da bolsa de Nova Iorque, em 1929, e ao início da Grande Depressão. Quanto à reação do Brasil à crise mundial de 1929 e seus reflexos, assinale a alternativa correta.
A – Um dos efeitos da crise na economia brasileira foi a queda do preço do café, motivo pelo qual Washington Luís, antecipando-se às propostas dos partidários de Getúlio Vargas, promoveu uma política de valorização daquele produto, efetuando sua compra, estocagem e queima.
B – Seguindo os princípios propostos pelo economista Keynes, Getúlio Vargas implementou no Brasil uma política que previa a não intervenção do Estado na economia. Essa forma de organização político-econômica ficou conhecida como internacionalista.
C – Se, por um lado, a Grande Depressão atingiu negativamente a cafeicultura, por outro, contribuiu para o desenvolvimento da indústria brasileira no processo conhecido como “industrialização por substituição de importações”.
D – Para pôr fim aos reflexos da crise mundial, o governo brasileiro investiu na democratização das instituições. O fim da política do café com leite e a implantação do Estado Novo são exemplos dessa política.
E – Primeiramente Washington Luís, depois Getúlio Vargas, para fortalecer o mercado financeiro, disponibilizaram créditos aos investidores internacionais, desestimulando a produção industrial e fortalecendo o setor primário, tido como a única fonte de riqueza de um país.

(UNEMAT/MT) – Universidade do Estado de Mato Grosso –
Questão 21:

Entre 1930 e 1937, a sociedade brasileira presenciou forte polarização política, tendo, de um lado, a Aliança Integralista Brasileira (AIB) e, de outro, a Aliança Nacional Libertadora (ANL).
Sobre essas duas frentes de luta, pode-se afirmar.
A – A AIB estava constituída de várias correntes políticas, entre elas, os tenentes, os comunistas e socialistas.
B – A ANL foi criada com o objetivo de combater a ameaça comunista.
C – A ANL teve a adesão de comunistas com o objetivo de conter o crescimento do movimento fascista representado pela AIB.
D – Apesar da polarização ideológica entre a ANL e a AIB, a polícia conseguiu evitar confrontos nas manifestações realizadas pelas duas frentes.
E – Não há nenhuma relação entre o golpe do Estado Novo, em 1937, e os conflitos e entre a ANL e a AIB com a consequente radicalização do quadro político no Brasil.

(UNEMAT/MT) – Universidade do Estado de Mato Grosso –
Questão 22:

O Estado Novo (1937-1945) investiu de modo significativo na ampliação das formas de comunicação com a população e atuou de forma vigorosa no campo cultural, educacional e na propaganda como forma de difusão do regime.
Sobre a política de propaganda do Estado Novo, assinale a alternativa incorreta.
A – O DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) foi o órgão responsável pela coordenação da propaganda do regime.
B – Apesar de sua importância como veículo de comunicação, o rádio foi considerado ineficaz para os propósitos propagandísticos do regime varguista.
C – O maestro Villa-Lobos contou com o apoio do regime para a formação de corais de professores e alunos que reuniam de 30 a 40 mil vozes.
D – Em 1942, o sistema de ensino foi reformado e unificado através da Lei Orgânica do Ensino Secundário.
E – Entre 1937 e 1945, o Estado criou serviços na área de radiodifusão, ampliando de modo significativo sua eficácia na difusão do regime.

(UFMT) – Universidade Federal de Mato Grosso –
Questão 23:
Sobre a caracterização do Populismo na política brasileira, durante a Era Vargas, considere:
I – Expressão da emergência das classes populares no cenário político das primeiras décadas do século XX.
II – Resultado da crise aguda do sistema liberal-oligárquico após 1929.
III – Ação deliberada das forças de oposição a Vargas, interessadas na desestabilização de seu governo.
IV – Efeito do surgimento do sindicalismo de resultados, organizado para ampliar os avanços sociais da classe trabalhadora.
São características do Populismo no Brasil
A – III e IV, apenas.
B – I e III, apenas.
C – I e II, apenas.
D – II e IV, apenas.
E – I, III e IV, apenas.

(UFMT) – Universidade Federal de Mato Grosso –
Questão 24:

O Governo Vargas, no período do Estado Novo (1937-1945), é caracterizado por sua proximidade ideológica com regimes de força vigentes no mundo neste período, notadamente o nazifascismo. No Brasil, esta relação se expressou também a partir do uso da propaganda política de massa, divulgada sob controle direto do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP). Em relação ao Governo Vargas no Estado Novo e a propaganda política por ele veiculada, assinale a afirmativa correta.
A – Importou da Alemanha nazista, em todas as suas proporções, o seu sistema de propaganda política e o implantou no Brasil com caráter totalitário, com vistas a conseguir legitimidade às iniciativas do governo.
B – Utilizou uma propaganda política inspirada no modelo nazista e a partir disto desenvolveu uma lógica de construção e divulgação da imagem do regime estadonovista, do seu chefe, que os identificasse com o sentimento nacional e com o povo.
C – Direcionou sua ação propagandística em favor do nacionalismo, da democracia e da liberdade política com vistas a conseguir maior legitimidade às suas políticas sociais, sobretudo a partir da criação da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e de políticas educacionais.
D – Fez uso da propaganda política contra os comunistas, embora não tivesse recebido apoio da Igreja Católica que, naquele momento, se aproximava da União Soviética para combater o nazifascismo.
E – Utilizou propaganda política feita por meio de rádio, cinema, TV e jornais e teve por objetivo contribuir para democratizar e desenvolver o Brasil.

(CEFET/BA) – Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia –
Questão 25:

Poema dos “aliancistas”
“O governo mais avacalhado
O Gegê sempre sorrindo
Por causa da nossa ‘Alianca’
Acabará caindo, acabará caindo
O Gegê está de calças na mão
Por causa da nossa Revolução
O povo todo está cansado
De ser explorado
Por este ladrão”
VIANNA, Marly de Almeida Gomes. Revolucionários de 35: sonho e realidade. Sao Paulo: Companhia das Letras, 1999
“Queremos nossa liberdade / Liberdade para pensar e falar / queremos escola para nossa criança / E queremos mais casas para nosso povo… Queremos viver sem opressão / Queremos progresso para nosso país”.
Samba de Ataulfo Alves, 1946.
Com base no poema cantado pelos “aliancistas”, no Samba de Ataulfo Alves e nos seus conhecimentos, sobre os primeiros anos do governo Vargas (1930-1945), é correto afirmar:
A – Como mostra a música de Ataulfo Alves, o samba de protesto foi bastante difundido durante o Estado Novo e teve como fundamento criticar o regime varguista e estimular sua deposição.
B – Tanto o samba como o poema demonstram que o primeiro período do governo Vargas foi caracterizado por uma tendência à redemocratização do Estado.
C – O samba de Ataulfo Alves pensa o Brasil como uma nação em desenvolvimento, e apropriou-se do movimento queremista para fortalecer seu apoio a Vargas.
D – O apelo às necessidades da população, como saúde e educação, cantadas no samba de Ataulfo Alves, tem apenas uma dimensão artística, já que essa não era a realidade do povo.
E – A passagem do samba de Ataulfo Alves “Queremos nossa liberdade/ Liberdade para pensar”, faz referência a um período ditatorial, justificado por Vargas em função de um suposto Plano Cohen, imputado aos comunistas, o que facilitou o recrudescimento da repressão e “justificou” a implantação do Estado Novo.

(CEFET/BA) – Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia –
Questão 26:

Acerca do processo histórico brasileiro no período Republicano, em particular na segunda metade do século XX, é correto afirmar:
A – O segundo Governo Vargas (1951-1954) foi caracterizado por forte orientação nacionalista, sendo um dos marcos desse período a imposição do monopólio estatal sobre a profusão do petróleo, considerada condição sine qua non para o desenvolvimento da nação.
B – Para o desenvolvimento da indústria brasileira, o período de Juscelino Kubitschek representou uma retração, já que o mesmo priorizou um desenvolvimento nacional radical, o que dificultou uma maior relação com o capital externo.
C – O discurso nacionalista sob a ótica desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek possuía um conteúdo idêntico ao de Vargas, já que ambos fortaleceram o capital externo, em detrimento da indústria nacional.
D – O período da ditadura militar foi marcado pela independência da economia nacional em relação ao capital externo, já que o lema na ditadura foi fortalecer o nacionalismo.
E – No final dos anos 80, surge no Brasil o modelo econômico caracterizado como neoliberalismo, que prega a intervenção do Estado na economia como forma de regular o mercado capitalista.

(UNIT/SE) – Universidade Tiradentes –
Questão 27:

Considere a manchete do jornal Última Hora.
(Antonio Pedro, Lizânias de Souza Lima e Yone de Carvalho. História do mundo ocidental. São Paulo: FTD, 2005. p. 448)
O fato histórico mencionado no jornal colocou fim a um mandato de Getúlio Vargas que teve início após
A – o golpe desencadeado pelas forças armadas.
B – o presidente ter sido eleito pelo voto popular.
C – a renúncia do presidente Eurico Gaspar Dutra.
D – a cassação do mandato de Washington Luiz.
E – a revogação completa da Constituição de 1946.

ANEXO EM WORD:
BANCO DE QUESTÕES ALZUMAR

foto ´pibid

As Eras Vargas.

A Revolução de 1930, mudou uma página da História do Brasil, quando, dos preparativos eleitorais para escolha do presidente da República em 1929, aconteceu o rompimento na política do Café com leite, acordo firmado entre paulistas e mineiros, os quais se revezavam na presidência do Brasil há mais de quarenta anos. Com a crise americana em 1929, os EUA, os maiores compradores do café brasileiro, diminuíram à compra do café, provocando a falta de interesse dos paulistas em continuar com o acordo com os mineiros. Minas Gerais já tinha até o candidato a presidência, Antônio Carlos do PRM porém, Washington Luís, convidou outro paulistas, Júlio Prestes para candidato pelo PRP. Para compor a presidência futura, Júlio Prestes convida o governador da Paraíba João Pessoa, para vice presidente, mas João Pessoa se negou a aceitar essa composição. Aproveitando à crise política, o gaúcho Getúlio Dorneles Vargas cria uma nova sigla partidária a Aliança Liberal e convida João Pessoa governador do Estado da Paraíba para formar sua equipe e o governador paraibano aceitou ao convite de Vargas, porém o candidato favorito, devido às fraudes eleitorais, foi Júlio Prestes do PRP foi eleito, deixando de fora o desejo dos brasileiros e dos candidatos em disputa. Após as eleições, em 26 de julho de 1930, o governador da Paraíba foi morto por seu inimigo João Dantas e o assassinato levou a uma grande revolta popular, pois se achava que o episódio tinha sido por causa da política e da interferência da Aliança Liberal nas eleições. Ao sentir o clima de revolta social, Antônio Carlos, o mineiro, citou uma frase que serviu de impulso à revolução: “Façamos a revolução, antes que o povo o faça”. E a revolução aconteceu. Grupos formados dos estados, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Sul e estados solidários, se reuniram no Palácio do Catete no Rio de Janeiro e apoiados pelo exército, conseguiram tomar a chave da presidência de Washington Luís e entregaram a Vargas, iniciando assim a primeira Era Vargas onde ele assume como governo Provisório. Se previa que Vargas convocasse uma nova eleição para escolha do presidente do Brasil, mas não foi o que ele fez, as eleições não aconteceram e em 1932, os paulistas resolveram forçar a barra e fizeram a Revolução Constitucionalista em revanche à Revolução de 1930. Era o dia 09 de Julho de 1932, data cívica para os paulistas até os dias atuais, pois apesar da revolução ter sido sufocada, os paulistas conseguiram que Vargas convocasse uma Assembleia Constitucionalista para votar a Constituição que foi promulgada por Vargas em 16 de julho 1934, onde nela, Vargas criou a CLT, promulgando as Leis Trabalhistas, beneficiando milhares de trabalhadores até os dias atuais. As Leis promulgadas pelo presidente Vargas foram: determinação do salário mínimo, criação da carteira de trabalho, férias remuneradas, descanso semanal, direito a previdência social, regulamentação do trabalho do menor e da mulher . A nova Carta Magna promulgada por Vargas, trouxe uma emenda Constitucional que dava o direito a Vargas, a se eleger pelo voto indireto, e foi o que aconteceu, o Congresso Nacional elegeu Vargas onde nesse mandato o presidente ficaria no poder até 1937, quando haveria outra eleição direta para o substituto de Vargas. Façamos aqui uma pausa, para listar a administração do presidente Vargas, enquanto governo Constitucionalista, de 1934 a 1937. Durante os quatro anos de mandato o presidente Vargas usou de uma política Nacionalista e populista, onde defendia que a economia deveria ser desenvolvida pelos brasileiros. Todo processo industrial, segundo Vargas, deveria ser conquistado pelos brasileiros. Aos mais necessitados, Vargas fazia a política do “Pai dos Pobres” onde mantinha uma popularidade que impressionava qualquer necessitado, já que o presidente se mostrava caridoso e “igual” aos pobres. Durante seu governo Constitucionalista, observou-se a ascensão de dois grandes movimentos políticos; a Ação Integralista Brasileira (AIB) a qual defendia a consolidação de um governo centralizado, capaz de conduzir à nação a um “grande destino”e esse destino só seria possível, mediante à perseguição aos movimentos comunistas, ao fim das ideias de democracia e a intervenção máxima do governo na economia do país. Do outro lado, os Comunistas se organizaram em torno de outra corrente ideológica; a Aliança Nacional Libertadora ( ANL) a qual tinha como objetivo a Reforma Agrária, a luta contra o imperialismo e à revolução por meio das lutas de classe. Essas ideias da ANL, levaram os comunistas em 1935, a organizar revoltas em Natal RN e em Recife PE. Aproveitando os movimentos revolucionários, período próximo às eleições que aconteceria em 1937, Vargas deflagra o Plano Cohen, por ele, Vargas usou dos meios de comunicação da época e discursou à nação, dizendo que soube de informações de fontes segura, que os comunistas iriam invadir o Brasil, incendiar igrejas, matar famílias indefesas, dominar a sociedade brasileira, e que, o país necessitava de um poder forte que fosse capaz de vencer a força comunista e defender a sociedade do caos que se aproximava. Veio o Golpe de Estado, Vargas acaba com as eleições em curso e implanta o Estado Novo, uma ditadura nos moldes dos nazifascistas. Vargas anula a Constituição de 1934, fecha o Congresso Nacional, demite os governadores dos estados, as câmaras municipais e passa a governar por Decreto-Lei. Era a Ditadura Vargas, era o “Estado Novo” que duraria até 1945. Durante o governo ditatorial, Vargas envia a Força Expedicionária Brasileira para Segunda Guerra, em conchaves firmados com os EUA, os Aliados. Em 1945, o exército brasileiro exigia que o governo marcasse uma data para as eleições pois já havia 15 anos que Vargas comandava à nação. Vargas convocou eleições, porém, nas manifestações partidárias dos candidatos, ele instigava grupos aliados a manifestações como cartazes e faixas, onde a palavra de ordem era : “Queremos Vargas” manifestações que ficou conhecida como “QUEREMISMO.” Preocupados na possibilidade de outro golpe de Estado por Vargas, as Forças Armadas resolveram obrigar Vargas a renunciar à presidência do Brasil em 1945.Após a saída de Vargas acontece as eleições em 1946, onde pela primeira vez as mulheres puderam exercer sua cidadania e escolher seu presidente. O escolhido foi Eurico Gaspar Dutra, o qual passou 4 anos no mandato, o desemprego que assolava a sociedade, Dutra abre as portas para as empresas estrangeiras se alocar no Brasil, cedendo as exigências dos capitalistas como; mão de obra barata, terreno para se instalar e o lucro enviado ao país de origem. Nas eleições de 1950, Vargas voltou a concorrer à presidência e voltou nos braços do povo com a maioria dos votos a seu favor, porém continuava com ideologia nacionalista e não teve muito o que fazer com as multinacionais já instaladas no Brasil. Para ir de encontro com os empresários, Vargas concedeu um aumento de 100% no salário mínimo, despesas pagas por aqueles que preferia a mão de obra barata para seus lucros terem mais progresso. Contra as empresas estrangeiras de petróleo, cotadas para vir ao Brasil, Vargas disse:
“ O petróleo é nosso” e indo de encontro às mesmas, criou a Petrobras em 1953. Novamente começou um processo de insatisfação contra o presidente Vargas, e as pressões eram para ele renunciasse novamente à presidência do Brasil. Ao ser solicitado para renunciar, Vargas dita a frase: “Daqui só sairei morto, saio da vida para entrar na História” Vargas escreve uma carta Testamento à Nação Brasileira, explicando o motivo de sua atitude, se fecha no Palácio do Catete e atira no peito. Termina assim a segunda Era Vargas.

ANEXO EM WORD:As Eras Vargas- texto de apoio–02

foto ´pibid


PIBID-HISTÓRIA-UEPB-2013
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA
ESCOLA: SENADOR ARGEMIRO DE FIGUEIREDO (POLIVALENTE)
COORDENADOR: AURICÉLIA
PROFESSOR SUPERVISOR: MARIA HELENA
ALUNO PIBIDIANO: ALZUMAR BARROS
TURMA: 2ºs ANOS

BANCO DE QUESTÕES PARA O VESTIBULAR

Questão 1: (UDESC 2008) As questões abaixo se referem aos movimentos operários, no contexto da Revolução Industrial do século XIX.

I – Ao longo do século XIX a consolidação do capitalismo tornaria as condições de vida e de trabalho do nascente proletariado extremamente precárias.

II – O ludismo traduz as primeiras manifestações de resistência da nascente classe operária que ocupou os últimos anos do século XVIII e os primeiros do século XIX.

III – Em meados do século XIX a greve geral dos trabalhadores na Europa, organizada pelo sindicato que representava a classe operária, provocou importantes mudanças na legislação trabalhista da época.

IV – O movimento cartista, movimento operário que surgiu na primeira metade do século XIX, não se constituiu um fato isolado, pois foi precedido de greves, motins, insurreições e outras manifestações da classe operária.

V – Na segunda metade do século XIX, e principalmente com a formação das associações internacionais dos trabalhadores, percebeu-se uma estreita relação entre o marxismo e o movimento operário europeu.
Assinale a alternativa correta.

A) Somente as afirmativas I, II, III e IV são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas I, II, IV e V são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas IV e V são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
E) Todas as afirmativas são verdadeiras.

Questão 2: (UFF 2009)
A Revolução Industrial ocorrida ao longo do século XVIII está vinculada à história da Inglaterra no seu nascedouro. Entretanto, à medida que o capitalismo foi se consolidando, a idéia de Revolução Industrial começou a ser associada a um conceito universal e ganhou vários sinônimos, dentre os quais:

A)republicanização, que orientava os novos processos de organização da política, a intervenção no mercado e a Revolução Francesa;
B) modernização, que indicava a manutenção da economia mercantilista, a centralização do Estado e o crescimento das camadas médias;

C) industrialização, que significava a alteração nos processos de produção, a concretização da economia de mercado e a ascensão da burguesia;

D) maquinização, que mostrava a crescente expansão do artesanato, da agricultura e da fisiocracia como modelos de crescimento;

E) tecnificação, que definia o processo industrial como dependente das modificações na agricultura e também do agrarismo, sendo controlado politicamente pela nobreza urbana.

Questão 3: (UFF 2008)
Para que o conhecimento tecnológico tivesse o êxito de hoje foi preciso que ocorressem, no tempo, alterações radicais que abriram caminho para a introdução de novas relações de mercado e novas formas de transportes. Assinale a alternativa que melhor identifica o momento inicial da Revolução Industrial:

A) a utilização da máquina a vapor que propiciou o desenvolvimento das ferrovias, integrando áreas de produção aos mercados, aumentando o consumo e gerando lucros;
B) a revolução política de 1688, que garantiu a vitória dos interesses dos proprietários agrícolas em aliança com os trabalhadores urbanos que controlavam as manufaturas;
C) os cercamentos que modificaram as relações sociais no campo, gerando novas formas de organização da produção rural e mantendo os vínculos tradicionais de servidão;
D) o desenvolvimento da energia eólica, produzindo um crescimento industrial que manteve as cidades afastadas do fantasma das doenças provocadas pelo uso do carvão;
E) a máquina a vapor que promoveu o desenvolvimento de novas formas de organização da produção agrícola e levou ao crescimento dos transportes marítimos na Europa Ocidental, através de investimentos estatais.

Questão 4: (UFPB 2008) O mundo do trabalho, entre 1760 e 1850, passou por um conjunto de mudanças, tanto no campo econômico como no campo social. As inovações tecnológicas tiveram grande importância nesse processo, conhecido como Primeira Revolução Industrial. Sobre essa temática, pode-se afirmar:

I.A Primeira Revolução Industrial, apesar de também ser conhecida como Revolução Industrial Inglesa, não ocorreu apenas na Inglaterra. Na verdade, as principais inovações tecnológicas do período ocorreram na França, na Península Ibérica e na Alemanha.
II. A tradicional produção de tecidos de lã, durante a Revolução Industrial Inglesa, continuou ativa. No entanto, foi a produção de tecidos de algodão que melhor expressou os aspectos revolucionários da produção fabril.

III. As mudanças promovidas pela Primeira Revolução Industrial ocorreram em vários âmbitos. Na esfera da produção, os três setores mais atingidos foram: a mineração de carvão, a indústria têxtil e a siderurgia.
Está (ão) correta(s) apenas:
(A) II
(B) II e III
(C) III
(D) I e III
(E) I

Questão 5. (Uel 2008) Com base na imagem, considere as afirmativas a seguir.

Sem título

I. No século XIX, com a descoberta de novas técnicas e a consequente mecanização da produção, os industriais intensificaram a exploração da mão de obra para recuperar os investimentos com as maquinarias e aumentar os lucros com a produção. Para conseguir tal intento, os assalariados tinham que cumprir em média 15 horas de trabalho por dia, sendo que mulheres e crianças – consideradas inferiores – foram comumente utilizadas como mão de obra por se constituírem em força de trabalho mais barata.
II. A crise econômica que arrasou a Inglaterra na segunda metade do século XIX abriu espaço para que os Estados Unidos colocassem no mercado seus produtos industrializados. A partir de então, o capitalismo foi se consolidando numa perspectiva mais financeira e abriu espaço para o surgimento das grandes potências bancárias.
III. A luta de classes tornou-se uma realidade a partir do momento em que a sociedade ficou dividida em duas classes antagônicas: burguesia e proletariado. As diferenças entre aqueles que eram donos dos meios de produção – e do capital – e aqueles que possuíam a força de trabalho – mão de obra – levou estes últimos a organizarem-se em sindicatos, partidos, associações para lutar contra a exploração a que eram submetidos.
IV. O anarquismo como doutrina política foi primordial para a constituição da classe burguesa, no século XIX, porque defendia a importância do capital na consolidação desta nova ordem social. Defendia também que todos os indivíduos tinham o direito de lutar para garantir melhores salários e qualidade de vida.

Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas.
a) I e II.
b) I e III.
c) III e IV.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.

Questão 6. (Uerj 2011) A Exposição de Paris de 1889 centrava-se na “Torre de Gustave Eiffel” com 300 m de altura, mais de 7.000 toneladas e mais de um milhão de rebites. Tinha duas longas galerias devotadas às Belas-Artes e às artes decorativas; por detrás ficava o imponente “Palácio das Máquinas”.

2
Adaptado de http://www.esec-josefa-obidos.rcts.pt

As exposições internacionais iniciaram-se em Londres, em 1851. A Torre Eiffel, um dos símbolos da cidade de Paris, foi erguida para a exposição de 1889, comemorativa do centenário da Revolução Francesa.
Durante a expansão capitalista europeia, no século XIX, essas exposições tiveram como principal objetivo ressaltar a importância da:
a) cooperação financeira franco-britânica
b) modernização tecnológica da produção
c) consolidação das democracias burguesas
d) uniformização dos padrões de desenvolvimento

Questão 7. (Ufal 2007) Considere a gravura.

3

Fundição de cobre em Swansea, Gales, século XIX.
A partir da segunda metade do século XVIII, as chaminés expelindo rolos de fumaça, como as da gravura, passaram a fazer parte da paisagem de algumas regiões inglesas, alterando o equilíbrio natural. Essas chaminés eram, na verdade, apenas parte mais visível da fábrica que alterou completamente a sociedade humana. Dentre as alterações econômicas e sociais advindas do fenômeno apresentado na gravura, pode-se destacar:
a) o processo de desconcentração urbana, haja vista a decisão da burguesia de construir as unidades fabris longe dos centros urbanos.
b) a melhoria do padrão de vida do trabalhador fabril, já que a máquina o libertou das condições degradantes do trabalho rural.
c) a preocupação do poder público com a questão ambiental, impondo rapidamente uma legislação que eliminou os efeitos da poluição ambiental.
d) a redução do lucro dos capitalistas ingleses porque eram obrigados a pagar elevadas indenizações aos operários que adoeciam nas fábricas.
e) o crescimento populacional próximo às fábricas, dando origem a graves problemas de urbanização, como a proliferação de cortiços.
Questão 8. (Enem 2001) “…

4

Um operário desenrola o arame, o outro o endireita, um terceiro corta, um quarto o afia nas pontas para a colocação da cabeça do alfinete; para fazer a cabeça do alfinete requerem-se 3 ou 4 operações diferentes, …”

SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Investigação sobre a sua Natureza e suas Causas. Vol. I. São Paulo: Novas Culturas, 1985.
A respeito do texto e do quadrinho são feitas as seguintes afirmações:
I. Ambos retratam a intensa divisão do trabalho, à qual são submetidos os operários.

II. O texto refere-se à produção informatizada e o quadrinho, à produção artesanal.

III. Ambos contêm a ideia de que o produto da atividade industrial não depende do conhecimento de todo o processo por parte do operário.
Dentre essas afirmações, apenas
a) I está correta.
b) II está correta.
c) III está correta.
d) I e II estão corretas.
e) I e III estão corretas.
Questão 9. (Fei) Podem ser apontadas como características da Revolução Industrial:
a) A substituição da manufatura pela indústria, a invenção da máquina-ferramenta, a progressiva divisão do trabalho e a submissão do trabalhador à disciplina fabril.
b) O aprimoramento do artesanato, a crescente divisão do trabalho, um forte êxodo urbano e o aumento da produção.
c) A substituição do artesanato pela manufatura e o consequente aumento da produção acompanhado pelo recrudescimento da servidão.
d) A total substituição do homem pela máquina e o aumento do nível de vida da classe trabalhadora.
e) A modernização da produção agrícola, o êxodo rural e uma diminuição do nível geral da produção.

Questão 10. (Fuvest) Sobre a inovação tecnológica no sistema fabril na Inglaterra do século XVIII, é correto afirmar que ela:
a) foi adotada não somente para promover maior eficácia da produção, como também para realizar a dominação capitalista, na medida que as máquinas submeteram os trabalhadores a formas autoritárias de disciplina e a uma determinada hierarquia.
b) ocorreu graças ao investimento em pesquisa tecnológica de ponta, feito pelos industriais que participaram da Revolução Industrial.
c) nasceu do apoio dado pelo Estado à pesquisa nas universidades.
d) deu-se dentro das fábricas, cujos proprietários estimulavam os operários a desenvolver novas tecnologias.
e) foi única e exclusivamente o produto da genialidade de algumas gerações de inventores, tendo sido adotada pelos industriais que estavam interessados em aumentar a produção e, por conseguinte, os lucros.

Questão 11. (Puccamp) Dentre as consequências sociais forjadas pela Revolução Industrial pode-se mencionar:
a) o desenvolvimento de uma camada social de trabalhadores, que destituídos dos meios de produção, passaram a sobreviver apenas da venda de sua força de trabalho.
b) a melhoria das condições de habitação e sobrevivência para o operariado, proporcionada pelo surto de desenvolvimento econômico.
c) a ascensão social dos artesãos que reuniram seus capitais e suas ferramentas em oficinas ou domicílios rurais dispersos, aumentando os núcleos domésticos de produção.
d) a criação do Banco da Inglaterra, com o objetivo de financiar a monarquia e ser também, uma instituição geradora de empregos.
e) o desenvolvimento de indústrias petroquímicas favorecendo a organização do mercado de trabalho, de maneira a assegurar emprego a todos os assalariados.

Questão 12. (Puccamp) O novo processo de produção introduzido com a Revolução Industrial, no século XVIII, caracterizou-se pela
a) implantação da indústria doméstica rural em substituição às oficinas.
b) realização da produção em grandes unidades fabris e intensa divisão do trabalho.
c) mecanização da produção agrícola e consequente fixação do homem à terra.
d) facilidade na compra de máquinas pelos artesãos que conseguiam financiamento para isso.
e) preocupação em aumentar a produção, respeitando-se o limite da força física do trabalhador.

Questão 13. (Puccamp) “O duque de Bridgewater censurava os seus homens por terem voltado tarde depois do almoço; estes se desculparam dizendo que não tinham ouvido a badalada da 1 hora, então o duque modificou o relógio, fazendo-o bater 13 badaladas.”

Este texto revela um dos aspectos das mudanças oriundas do processo industrial inglês no final do século XVIII e início do século XIX. A partir do conhecimento histórico, pode-se afirmar que
a) os trabalhadores foram beneficiados com a diminuição da jornada de trabalho em relação à época anterior à revolução industrial.
b) a racionalização do tempo foi um dos aspectos psicológicos significativos que marcou o desenvolvimento da maquinofatura.
c) os empresários de Londres controlavam com mais rigor os horários dos trabalhadores, mas como compensação forneciam remuneração por produtividade para os pontuais.
d) as fábricas, de modo em geral, tinham pouco controle sobre o horário de trabalho dos operários, haja vista as dificuldades de registro e a imprecisão dos relógios naquele contexto.
e) os industriais criaram leis que protegiam os trabalhadores que cumpriam corretamente o horário de trabalho.

Questão 14. (Pucsp) Para o processo de industrialização na Inglaterra do século XVIII, foi decisivo (a)
a) a relação colonial, mantida com a Índia e a América do Norte, que possibilitou um grande acúmulo de recursos financeiros.
b) o estímulo ao desenvolvimento inglês, promovido pela concorrência tecnológica com os americanos.
c) a união dos interesses nacionais em torno de um esforço de desenvolvimento, logo após a expulsão das tropas napoleônicas do território inglês.
d) o incentivo à inovação tecnológica como resultado da ação dos ludistas que destruíram as máquinas consideradas obsoletas.
e) o acordo comercial conhecido por Tratado de Methuen, que estabeleceu a abertura de mercados alemães.
Questão 15. (Mackenzie) Dentre as realizações da Era Meiji (Era das Luzes), desencadeada pelo imperador Mitsu-Hito objetivando modernizar o Japão para competir em condições de igualdade com os países industrializados do Ocidente, destacamos:
a) abolição da servidão, proclamação da igualdade de todos os japoneses perante a lei, desenvolvimento do ensino público, das comunicações e da economia.
b) fortalecimento do poder do Xogunato e abertura dos portos aos produtos estrangeiros, objetivando assimilar a tecnologia ocidental.
c) criação de Daimios independentes, coordenados por um Xogum imperial encarregado de estimular as atividades dos centros urbanos de produção industrial.
d) política de incentivos financeiros à burguesia nacional, formação de um bloco econômico supranacional regional (os Tigres Asiáticos), ampliando as relações entre Oriente e Ocidente.
e) reforma econômica, criação do Iene, instituição da servidão nas indústrias, e cessão da ilha de Hong Kong à Inglaterra, em troca de empréstimos financeiros.

GABARITOS
1-b
2-c
3-a
4-b
5-b
6-b
7-e
8-e
9-a
10-a
11-a
12-b
13-b
14-a
15-a

ANEXO EM WORD:BANCO DE QUESTÕES revolução industrial, Alzumar…

foto ´pibid
BANCO DE QUESTÕES PARA O VESTIBULAR

(UNIR/RO) – Fundação Universidade Federal de Rondônia –
Questão 1:

Em 1937, o Governo Vargas implantou o Estado Novo. Sobre esse período, é correto afirmar:

A – Foi um período de intenso combate ao crime organizado, no qual as quadrilhas de tráfico internacional de armas e drogas estiveram desarticuladas.
B – Foi um período de intenso avanço das liberdades democráticas, no qual o Partido Comunista Brasileiro lançou a candidatura de Luis Carlos Prestes a uma vaga na Câmara dos Deputados.
C – Foi marcado por uma ditadura política violenta na qual os direitos e liberdades democráticos foram severamente limitados e os opositores presos, tendo sido alguns deportados.
D – Foi um período marcado por rigorosa política de segurança nas ruas do Rio de Janeiro, protegendo os cidadãos da ação de assaltantes e inibindo a prostituição.
E – Foi um período de grandes avanços na política externa, notadamente pelo estreitamento de relações entre o Brasil e os países do Leste Europeu.

(UNEMAT/MT) – Universidade do Estado de Mato Grosso –
Questão 2:

Entre 1930 e 1937, a sociedade brasileira presenciou forte polarização política, tendo, de um lado, a Aliança Integralista Brasileira (AIB) e, de outro, a Aliança Nacional Libertadora (ANL).
Sobre essas duas frentes de luta, pode-se afirmar.
A – A AIB estava constituída de várias correntes políticas, entre elas, os tenentes, os comunistas e socialistas.
B – A ANL foi criada com o objetivo de combater a ameaça comunista.
C – A ANL teve a adesão de comunistas com o objetivo de conter o crescimento do movimento fascista representado pela AIB.
D – Apesar da polarização ideológica entre a ANL e a AIB, a polícia conseguiu evitar confrontos nas manifestações realizadas pelas duas frentes.
E – Não há nenhuma relação entre o golpe do Estado Novo, em 1937, e os conflitos e entre a ANL e a AIB com a consequente radicalização do quadro político no Brasil.

(FGV/SP) – Fundação Getúlio Vargas – São Paulo –
Questão 3:

“A revolta paulista, chamada Revolução Constitucionalista, durou três meses e foi a mais importante guerra civil brasileira do século XX(…) Sua causa era praticamente inatacável: a restauração da legalidade, do governo constitucional. Mas seu espírito era conservador: buscava-se parar o carro das reformas e deter o tenentismo, restabelecer o controle federal pelos estados.”
CARVALHO, J.M. de, Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 100.
A respeito da situação política brasileira no início da década de 30, é correto afirmar:
A – A maior parte da oligarquia paulista havia aderido à Revolução dirigida por Getúlio Vargas ansiando por uma modernização no país que envolvesse uma reforma eleitoral, a centralização política federal e o reconhecimento dos direitos trabalhistas.
B – Apesar de derrotada militarmente, a revolta acabou levando à convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte com novas regras eleitorais, como o voto secreto que dificultava a ocorrência de fraudes e o direito de voto para as mulheres.
C – A maior parte da oligarquia paulista acabou por articular-se com Luís Carlos Prestes, ex-dirigente da coluna Prestes-Miguel Costa, que havia aderido ao comunismo e tornara-se a principal liderança política do Partido Comunista.
D – Os paulistas defendiam um amplo programa nacionalista e procuravam garantir o retorno da normalidade democrática quebrada com o movimento revolucionário de 1930, que representava os interesses dos setores oligárquicos dos diversos estados da federação.
E – A revolução Constitucionalista foi inicialmente uma revolta da oligarquia paulista e sofreu, posteriormente, um processo de radicalização política que levaria à intensificação de greves e manifestações populares em todo o país, em prol da democracia.

(UEL/PR) – Universidade Estadual de Londrina –
Questão 4:

Durante o Estado Novo, o governo de Getúlio Vargas foi marcado por fértil produção de materiais, como cartilhas, cartazes, filmes e pela prática de grandes espetáculos comemorativos. Sobre o significado da propaganda política na ditadura estadonovista, é correto afirmar:
A – Constituiu um dos pilares do Estado Novo, pois ao disseminar imagens e símbolos que valorizavam as ações do governo teve como alvo buscar o apoio popular e a legitimidade junto às massas, assegurando assim o controle social.
B – Expressou a preocupação de Vargas em associar o seu governo ao passado nacional, já que a utilização de símbolos da “República Velha” era recorrente difundia a ideia de continuidade.
C – A propaganda política do Estado Novo veiculou mensagens que objetivavam consolidar o ideal de um trabalhador orientado por uma consciência de classe e reivindicativo quanto a seus interesses.
D – A veiculação de imagens e símbolos enaltecedores da figura de estadista de Vargas dificultou a visualização dessa liderança política como “pai dos pobres”.
E – O objeto central da propaganda política no Estado Novo era explicitar para a sociedade a existência das tensões e conflitos, indicando ser a luta de classes o caminho para a construção de uma sociedade coesa.

(UFG/GO) – Universidade Federal de Goiás –
Questão 5:

No final do século XIX e nas primeiras décadas do século XX emergiram na Europa Ocidental discursos nacionalistas que destacavam o território, a pureza racial e a língua como requisitos básicos da nacionalidade. No Brasil, no mesmo período, os nacionalistas repensaram a constituição do povo brasileiro ao:
A – abandonar as teses de formação de uma população branca nos moldes europeus, admitindo a mestiçagem;
B – retomar as discussões sobre a língua falada pela população, opondo-se ao português falado e escrito em Portugal;
C – proibir a entrada de imigrantes africanos e orientais como forma de acelerar o branqueamento da população;
D – refletir sobre formas de incluir a população rural e urbana no ideário civilizador branco apregoado pelo governo;
E – estimular os intelectuais a produzir obras de exaltação nacional, visando à educação moral e cívica da população.

(UFMT) – Universidade Federal de Mato Grosso –
Questão 6:

Sobre a caracterização do Populismo na política brasileira, durante a Era Vargas, considere:
I – Expressão da emergência das classes populares no cenário político das primeiras décadas do século XX.
II – Resultado da crise aguda do sistema liberal-oligárquico após 1929.
III – Ação deliberada das forças de oposição a Vargas, interessadas na desestabilização de seu governo.
IV – Efeito do surgimento do sindicalismo de resultados, organizado para ampliar os avanços sociais da classe trabalhadora.
São características do Populismo no Brasil
A – III e IV, apenas.
B – I e III, apenas.
C – I e II, apenas.
D – II e IV, apenas.
E – I, III e IV, apenas.

(FTC/BA) – Faculdade de Tecnologia e Ciências –
Questão 7:

O senhor Getúlio Vargas não deve ser candidato à presidência. Candidato, não deve ser eleito. Eleito, não deve tomar posse. Empossado, devemos recorrer à revolução para impedi-lo de governar.
(Lacerda. In: Campos, p. 255.)
Em relação ao contexto histórico brasileiro, no qual se insere o discurso do deputado Carlos Lacerda, é correto afirmar:
A – As palavras do deputado foram proféticas, uma vez que o Golpe Militar de 1964 afastou o presidente Getúlio Vargas, definitivamente, do poder.
B – A eleição de Getúlio Vargas, em 1950, deu início ao período da história brasileira conhecido como Estado Novo, quando as liberdades individuais foram suprimidas.
C – O processo eleitoral referido no texto constituiu as primeiras eleições diretas presidenciais no Brasil do pós-Guerra, tendo Getúlio Vargas sido eleito, com o apoio da maioria dos partidos políticos.
D – Getúlio Vargas, durante o seu novo mandato, desenvolveu uma política econômica voltada para a defesa das riquezas nacionais e de investimentos em setores estratégicos, como a energia e a siderurgia.
E – A antiga rivalidade entre o Presidente e o deputado Carlos Lacerda sofreu profundas transformações no decorrer do novo mandato, tendo o Deputado se tornado o principal defensor da nova política econômica adotada e da continuidade do governo populista de Vargas.

(UFLA/MG) – Universidade Federal de Lavras –
Questão 8:

Observe a charge política abaixo:
8

CHARGE POLÍTICA
FONTE: História para o Ensino Médio: história geral e do Brasil: volume único – São Paulo: Scipione, 2001 – série parâmetros
A charge em questão evidencia irreverentemente momentos da trajetória política de Getúlio Vargas, correlacionando-os a figuras de destaque num dado momento histórico. Indique a alternativa que não diz respeito aos períodos getulistas apontados:
A – A associação entre Getúlio Vargas e o presidente norte-americano Roosevelt diz respeito à aproximação entre Brasil e Estados Unidos da América momentos antes da entrada de ambos na 2.ª Guerra Mundial.
B – O movimento revolucionário de 1930 foi resultado de uma aglutinação de forças e instituições que buscavam participação política, anteriormente negada pelas oligarquias cafeeiras, daí sua associação a ditadores.
C – Ao correlacionar a figura de Getúlio Vargas ao ditador nazista, Adolf Hitler, na data em questão, buscou-se associar as ditaduras políticas de ambos.
D – O temor norte-americano de uma aproximação getulista do Eixo no início dos anos 40 resultou numa busca de aproximação cada vez maior por parte dos americanos em relação ao Brasil e resultou num empréstimo financeiro com vistas à construção de uma siderúrgica, o que explica uma de suas charges.
E – O interesse “continuista” de Getúlio no período denominado de “redemocratização” levou-o ironicamente a buscar apoio até mesmo no PCB de Prestes, ao qual perseguira sistematicamente ao longo das gestões anteriores, daí a ironização da charge.

(UEA/AM) Universidade do Estado do Amazonas –
Questão 9:

O Estado Novo instalou empresas nacionais e inaugurou o controle estatal sobre áreas de produção estratégicas, como mineração, aço e petróleo. De forma corporativa, estabeleceu, para os setores agrários e burgueses, mecanismos de acesso aos núcleos de poder e de tomada de decisão.
Assinale a alternativa que se refere corretamente a essas medidas:
A – O Estado Novo fortaleceu o bloco democrático e militar, que assumiu as diretrizes do desenvolvimento econômico nacionalista, nitidamente acima da burguesia urbana.
B – Para a indústria, o regime criou os conselhos técnicos; para os setores extrativistas e agrários, os institutos; e, para a infraestrutura, as comissões e conselhos de água, energia, ferrovias e do Plano Siderúrgico, que faziam a aproximação com o poder.
C – O Departamento de Administração do Serviço Público foi criado para permitir a prática de ações paternalistas, clientelistas e cartoriais em proveito do regime.
D – A nacionalização do petróleo foi obtida após a aprovação da Lei 2003, que determinava o monopólio dos recursos do petróleo.
E – A Lei de Segurança Nacional foi criada para, ao lado do DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda –, trazer tranquilidade ao regime industrializante.

(MACKENZIE/SP) – Universidade Presbiteriana Mackenzie –
Questão 10:

A criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, pelo decreto de 26 de novembro de 1930, indicava a intenção de Getúlio Vargas, já no início do Governo Provisório, de
A – Combater o trabalho escravo nas zonas rurais, onde a inexistência de uma legislação trabalhista eficaz permitia constantes abusos de fazendeiros, em particular na exploração da mão-de-obra feminina e infantil.
B – Manter, sem alterações significativas, a política dos governos anteriores em relação ao operariado, ou seja, a de mera repressão policial e de proibição da organização sindical.
C – Criar uma política que regulamentasse tanto às atividades operárias quanto patronais, e que, por conseguinte, permitisse reunir no Estado meios de controle sobre ambas as classes sociais.
D – Implantar um modelo de política trabalhista como o da União Soviética, cuja organização de trabalhadores se fazia inteiramente sob a égide do Estado.
E – Reduzir ao mínimo a intervenção do Estado nas relações litigiosas entre empresário e trabalhadores, cabendo ao Ministério apenas oficializar os acordos resultantes da livre negociação.

(IBMEC) – Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais –
Questão 11:

–“Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.”
Este fragmento da carta-testamento de Getúlio Vargas marca o encerramento de uma carreira política extremamente rica, cujo doloroso ápice foi seu suicídio, em 24 de agosto de 1954.
Assinale o fator determinante para tão radical decisão do presidente:
A – as pressões dos grupos internacionais inconformados com a criação da Petrobras;
B – o possível envolvimento de Getúlio no atentado contra a vida do jornalista Carlos Lacerda;
C – os inúmeros processos abertos contra o presidente, permanentemente acusado de práticas corruptas em sua administração;
D – as repercussões de sua iniciativa de atrelar politicamente o Brasil à União Soviética, em plena Guerra Fria;
E – a comprovação de inúmeros casos de envolvimento do presidente com vedetes, cantoras e artistas de cinema, manchando sua reputação.

(UNIT/SE) – Universidade Tiradentes –
Questão 12:

Analise o texto.
A Constituição de 1937 estabeleceu que: “O ensino pré-vocacional profissional destinado às classes menos favorecidas é em matéria de educação o primeiro dever de Estado. Cumpre-lhe dar execução a esse dever, fundando institutos de ensino profissional e subsidiando os de iniciativa dos Estados, dos Municípios e dos indivíduos ou associações particulares e profissionais”.
(CAMPANHOLE, Adriano & CAMPANHOLE, Hilton Lobo. Constituições do Brasil. São Paulo: Atlas, 1981)
A partir do conhecimento e da análise do texto da Constituição, é possível afirmar que a política educacional do Estado Novo
A – reconhece o direito universal ao acesso à educação e a prática democrática de fornecer a todos os cidadãos uma formação baseada nos princípios da igualdade social.
B – pode ser considerada democrática, uma vez que as decisões relacionadas à educação escolar resultavam da ampla discussão que o governo fazia com educadores.
C – previa a criação de um sistema educacional público, igualitário e permanente para os cidadãos brasileiros independente de sua condição na estrutura social.
D – deu um salto qualitativo ao determinar que o Estado tinha o dever de garantir o direito à educação pública de qualidade a todas as crianças, jovens e adultos do país.
E – institucionalizou uma visão preconceituosa que reforçava as diferenças entre trabalho intelectual e manual, separação que marcou as relações sociais desde a época da escravidão.

15.1

15.2

Q(UFPB) – Universidade Federal da Paraíba –
Questão 15:

O governo Vargas tornou-se sinônimo de intervenção estatal. Embora essa política intervencionista tenha adquirido força no Estado Novo, pode ser percebida durante toda a chamada Era Vargas.
Sobre a Era Vargas, é correto afirmar:
A – O Departamento de Imprensa e Propaganda, embora impusesse limitações à imprensa, seguiu a orientação do estado, sem propaganda do governo e sem influência sobre a opinião pública.
B – O governo, na questão agrícola, extinguiu diversos institutos, entre eles o do Açúcar e do Álcool, o do Pinho, o do Mate e o do cacau, e centralizou as ações do Ministério da Agricultura.
C – Os principais opositores do governo foram facilmente cooptados pela política governamental de conciliação e políticos com visões opostas, como Luiz Carlos Prestes e Plínio Salgado, atuaram como ministros de Vargas.
D – O movimento sindical passou a ser tutelado já no início do primeiro governo Vargas, com a Lei de Sindicalização (março de 1931) e, em decorrência, o sindicato tornou-se um colaborador do Estado, com o objetivo de intermediação e atenuação do conflito entre capital e trabalho.
E – O Brasil, com a implantação do Estado Novo, conseguiu a tão sonhada paz social, e o governo Vargas implantou, pela via da conciliação política, um governo de coalizão entre socialistas e integralistas.

(PUC-RIO) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro –
Questão 16:

“(…) Preciso de vós, trabalhadores do Brasil, meus amigos, meus companheiros de uma longa jornada (…). Preciso de vossa união; preciso que vos organizeis solidamente em sindicatos, preciso que formeis um bloco forte e coeso ao lado do governo (…). Preciso de vossa união para lutar contra os sabotadores, para que eu não fique prisioneiro dos interesses dos especuladores e dos gananciosos, em prejuízo dos interesses do povo.”
Getúlio Vargas, no Estádio Vasco da Gama, 01/05/1951.
Considere o segundo governo de Getúlio Vargas (1951-1954), o trecho acima e EXAMINE as afirmativas:
I – Vargas se dirige aos “trabalhadores do Brasil”, urbanos e rurais, beneficiários da legislação trabalhista implantada durante o seu primeiro governo.
II – O tom de apelo para que os trabalhadores se unissem “ao lado do governo” evidencia a busca pelo apoio popular frente à oposição de setores militares e do empresariado brasileiro ligado ao capital internacional.
III – Sobre a união dos trabalhadores para “lutar contra os sabotadores”, Vargas está fazendo alusão aos comunistas, que pretendiam assumir o poder no Brasil naquela época.
IV – Ainda que se apresente como garantidor dos “interesses do povo”, defendendo a ampliação da legislação trabalhista, Vargas enfrenta reivindicações dos trabalhadores, então atingidos pela alta do custo de vida.
Assinale a alternativa correta:
A – Somente as afirmativas I e III estão corretas.
B – Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.
C – Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
D – Somente as afirmativas I, III e IV estão corretas.
E – Todas as afirmativas estão corretas.

(UFG/GO) – Universidade Federal de Goiás –
Questão 17: Em março de 1934, Luís Carlos Prestes fundou uma frente popular, a Aliança Nacional Libertadora, que objetivava atrair setores democráticos e anti-fascistas da sociedade para um programa de reformas políticas e sociais. O governo de Vargas perseguiu Prestes devido à:
A – emergência de regimes autoritários na Europa influenciando a organização partidária no Brasil;
B – cooptação dos sindicatos pelo Estado, com suas sedes tornando-se locais da propaganda oficial;
C – proposta política de estabelecer um governo revolucionário no Brasil alinhado com a União Soviética;
D – organização da Ação Integralista Brasileira, que defendia um projeto de Estado autoritário para o país;
E – rivalidade entre integralistas e aliancistas, os quais mobilizaram o país, ampliando o clima de confrontos.

(Unibahia/BA) – Faculdades Integradas Ipitanga –
Questão 18:

No dia 10 de novembro de 1937, no Brasil, o Congresso foi fechado. Começava, então, o Estado Novo, período em que a sociedade brasileira:
A – foi salva da ameaça representada pelo Plano Cohen, comunista e combatido pelo novo governo;
B – presenciou disputas políticas entre tendências opostas e o apoio do governo à Aliança Nacional Libertadora;
C – assistiu à hipertrofia dos poderes presidenciais e à instalação de um regime ditatorial de caráter fascista;
D – conheceu uma Constituição liberal, que, entre seus artigos, estabelecia o federalismo como princípio básico do Estado;
E – testemunhou a eliminação de grupos dominantes e o enfraquecimento do Estado, em especial o Poder Executivo, que perdeu seus mecanismos de ação.

(UFG/GO) – Universidade Federal de Goiás –
Questão 19:
Observe a imagem a seguir:
19
Foto do banquete oferecido ao presidente da República, no Palácio das Esmeraldas de Goiânia, em 7 de agosto de 1940. Acervo: Museu Pedro Ludovico Teixeira. In: PALACÍN, Luís; MORAES, Maria Augusta de Sant’Anna. História de Goias (1722-1972). 5. ed. Goiânia: UCG, 1989. p. 105.
A associação da fotografia ao contexto histórico do Estado Novo, em Goias, sinaliza:
A – a adoção de uma política de reforma agrária, voltada para os migrantes pioneiros da colonização agrícola em Goiás;
B – o estímulo do governo central brasileiro ao processo de redistribuição populacional na região Centro-Oeste;
C – a articulação com o governo federal, visando à modernização de Goiás, com a criação de colônias agrícolas;
D – as políticas de combate às endemias que assolavam as populações interioranas, iniciando a campanha sanitarista em Goiás;
E – a difusão do projeto estadonovista de ocupação do Centro-Oeste, baseado na urbanização e na industrialização da região.

(UFMT) – Universidade Federal de Mato Grosso –
Questão 20:
Durante o Estado Novo (1937 – 1945), o Brasil teve que se posicionar diante do confronto entre as “potências do Eixo” (Alemanha, Itália e Japão) e as “nações aliadas” (Inglaterra, França, URSS e EUA, após 1941). Em 22 de agosto de 1942, declarou Estado de Guerra contra a Alemanha e a Itália. Sobre o assunto, assinale a afirmativa incorreta:
A – A participação do Brasil na II Guerra Mundial deveu-se à exclusiva deliberação do presidente Getúlio Vargas, que se cercava de auxiliares e de ministros, em sua maioria, favoráveis à aliança entre o Brasil e os Estados Unidos da América.
B – Os expedicionários, após as recepções oficiais comemorativas da vitória no front italiano, foram recomendados a não fazer críticas ao Estado Novo de Vargas.
C – O Brasil declarou guerra à Alemanha e à Itália por ter sido agredido, uma vez que teve dezenas de embarcações afundadas por submarinos do Eixo.
D – Durante o esforço de guerra, a sociedade brasileira mobilizou-se para a realização de sacrifícios e de gestos altruístas, como demonstrou o apoio às campanhas de racionamento de combustível e de economia de energia elétrica.
E – A Força Expedicionária Brasileira e a Força Aérea Brasileira combateram os alemães em território italiano, colaborando com as forças das “nações aliadas” que haviam invadido a Itália em 1943.

ANEXO EM WORD: BANCO DE QUESTÕES PARA O VESTIBULAR

GABARITO
1-C 4-A 7-D 10-C 13-E 16-C 19-C
2-C 5-A 8-E 11-B 14-A 17-C 20-A
3-B 6-C 9-B 12-E 15-D 18-C

PLANO DE AULA
foto ´pibid

PIBID-Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência.
UEPB-Universidade Estadual da Paraíba.
História-2013
Escola: Senador Argemiro de Figueiredo (Polivalente)
Professor Supervisor: Maria Helena Farias
Aluno Bolsista: Biagio Ítalo Ribeiro Grisi Paiva
Turma: 3º Ano
Duração: 4 aulas/45 minutos

PLANO DE AULA


1. Tema:

As duas eras Vargas

2. Objetivo geral:
Desenvolver uma reflexão nos educandos acerca do período na História do Brasil governado pelo político Getúlio Vargas, o chamado período da ‘ERA VARGAS’ como também seu apogeu e declínio.

3. Objetivos específicos:

* Identificar alguns benefícios da revolução que marca o início de um governo ditatorial o chamado Estado Novo
* Identificar os principais investimentos deste governo na economia, educação e infraestrutura Brasileira.
* Desenvolver no aluno o interesse pelo tema abordado e sua importância de estuda-lo.
* Incentivar o aluno a entender a importância deste período para o desenvolvimento do Brasil nos demais aspectos econômicos, políticos e social.
* Associar os fatos ocorridos na Europa e suas repercussões no Brasil que culminou no nacionalismo e populismo na era Vargas.
* Identificar os fatores que resultou em uma crise politica no pais e no suicídio do presidente já com mandato eletivo.

4. Metodologia:

Os alunos serão orientados a estudarem sobre a temática através do livro didático e o documentário ‘A era Vargas’ do historiador Boris Fausto, haverá também uma aula sobre o tema para abordar as duvidas frequente (com o auxilio do Datashow), logo depois um banco de questões com 10 questões do ENEM sobre o tema debatido.


5. Recursos didáticos pedagógicos:

* Livros didáticos de História.
* Vídeo aula (documentário narrado sobre a era Vargas/Boris Fausto).
* Datashow

6. Avaliação:
* Prova escrita.

ANEXO EM WORD: PLANO DE AULA – As duas eras vargasBIAGIO ITALO

foto ´pibid

PIBID-HISTÓRIA-UEPB-2013
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA
ESCOLA: SENADOR ARGEMIRO DE FIGUEIREDO (POLIVALENTE)
PROFESSOR SUPERVISOR: MARIA HELENA
ALUNO Bolsista: WESLLEY RANGEL
TURMA: 3ºs ANOS
DURAÇÃO: AULAS DE 50 MINUTOS

PLANO DE AULA

1. TEMA
As duas Eras Vargas.

2. OBJETIVO GERAL
Despertar uma reflexão dos educandos sobre os dois momentos que marcaram o governo de Getúlio Vargas na primeira metade do século XX, fazendo-os observar as profundas transformações ocorridas no cenário brasileiro ao longo de sua administração.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Analisar o cenário político que marcou o Brasil nos primeiros anos do século XX.
• Compreender como os estados de Minas e São Paulo protagonizaram as várias transições de governo com a chamada República do Café com Leite.
• Entender os motivos que levaram os paulistas a se insurgirem contra Getúlio Vargas na conhecida Revolução Constitucionalista.
• Contextualizar as transformações trazidas pela Constituição de 1934 para a sociedade brasileira.
• Identificar as características que marcaram os dois períodos do governo Vargas.
• Proporcionar aos educandos a discussão do conceito de democracia x regimes autoritários.
• Incentivar a leitura e a pesquisa sobre o tema discutido em sala de aula.
4. METODOLOGIA
O conteúdo deverá ser abordado, tendo em vista uma apresentação oral direcionada à turma e gravado em arquivo audiovisual situando questões problematizadoras a temática: “As duas Eras Vargas”. Logo em seguida, os alunos se submeterão a responderem um banco de questões propostas para o ENEM.

5. RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS

• Livro didático de História;
• Notebook;
• Datashow;
• Vídeo aula (documentário A Era Vargas);
• Câmera digital.

6. AVALIAÇÃO
• Prova escrita;
• Participação na discussão em sala de aula da temática abordada.

ANEXO EM WORD: PLANO DE AULA – A ERA VARGAS OK